A homenagem da Front Line Defenders a Alexandre Anderson, no “Vozes da Linha de Frente”

Tania Pacheco

Estamos repetindo, agora com legendas em português, a parte referente a Alexandre Anderson no show “Voices from the Front Line” (Vozes da Linha de Frente), realizado em 9 de dezembro de 2012, em Dublim. O  espetáculo homenageou 11 Defensores dos Direitos Humanos, de diferentes países, com a participação do ator estadunidense Martin Sheen e de [email protected], atores e atrizes da Irlanda. A história de Alexandre foi apresentada pelo ator Robert Sheehan, e o vídeo está programado para aparecer com legendas em português. Caso isso não aconteça autmaticamente, clique por favor em CC, na direita baixa, e escolha “legendas em português”. (mais…)

Ler Mais

MT – Camargo Corrêa: Incra nega irregularidade em perícia

Rodrigo Vargas, Valor Online

A Superintendência do INCRA em Mato Grosso negou irregularidades na perícia que afirmou ser produtiva uma área de 67 mil hectares pertencente ao grupo Camargo Corrêa em Nortelândia (254 quilômetros de Cuiabá).

Em nota à imprensa, o órgão contestou as denúncias do Sintraf (Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Nortelândia), que na semana passada motivaram a abertura de inquérito pelo Ministério Público Federal.

Segundo o INCRA, a perícia nas terras da Arrossensal Agropecuária e Industrial S/A levou em conta a “legislação em vigor e documentos comprobatórios fornecidos por outros órgãos públicos.”

As áreas da Camargo Corrêa ocupam praticamente metade do município e são requisitadas para a reforma agrária por 1.688 famílias da região.  Como a vistoria considerou a área produtiva, o INCRA arquivou a demanda.

O Sintraf, porém, apontou uma série de supostas irregularidades no documento, como divergências entre percentuais de reserva, percentuais de cobertura vegetal e o tamanho do rebanho bovino. (mais…)

Ler Mais

Seminário discutirá em Cuiabá novos rumos da atuação indigenista

Os numerosos projetos de lei e outros instrumentos legislativos que pretendem mexer na política indigenista brasileira tramitam de forma acelerada no Congresso Nacional e preocupam diversos setores da sociedade civil. Atenta a isto, a Operação Amazônia Nativa (OPAN) vai promover no próximo sábado, 2 de fevereiro, na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o seminário “Análise de conjuntura da política indigenista e os rumos do indigenismo na atualidade”. O evento é aberto ao público e vai reunir antropólogos, lideranças indígenas, organizações não governamentais e representantes do poder executivo para discutir a nova conjuntura da atuação indigenista no país.

Com algumas exceções, o ano de 2012 foi marcado por retrocessos marcantes na política indigenista como o avanço da PEC 215, projeto de emenda constitucional que quer transferir do poder executivo para o Congresso Nacional a competência para a demarcação de terras indígenas e quilombolas, inclusive a revisão de territórios já regularizados. Isso traz imensa insegurança aos direitos constitucionais indígenas. Outra medida polêmica foi a Portaria 303 da Advocacia Geral da União (AGU), que tentou colocar em vigor as 19 condicionantes do julgamento do caso Raposa Serra do Sol para os demais territórios indígenas, proibindo, por exemplo, a ampliação de terras já demarcadas e envolvendo estados e municípios em todas as etapas dos processos de demarcação. A medida permite ainda a instalação de bases e postos militares no interior das áreas sem consulta aos indígenas, entre outros itens controversos. (mais…)

Ler Mais

Estudo desnuda a exploração ocultada dos trabalhadores do petróleo em alto-mar

Oswaldo Sevá Filho*

Os homens levantam muito cedo, em cidades tão distantes quanto Londrina (PR), Salvador (BA), Lajes (SC), Juiz de Fora e Uberlândia (MG), Campinas e Sorocaba (SP), e várias outras nos estados do Rio de Janeiro, da Bahia, do Espírito Santo. Vão quase todos para a cidade do Rio de Janeiro, alguns por via aérea, muitos em ônibus de linha. Têm que passar pela rodoviária Novo Rio, onde fazem a baldeação para o norte fluminense; ainda viajam mais três horas e tanto pela BR 101, num dos trechos mais mortíferos do país, após o término da pista dupla em Rio Bonito.

Na estação rodoviária de destino, Macaé ou Campos, pegam mais ônibus e vans até os heliportos mais movimentados do país, no litoral de Macaé e de Atafona – de onde vão finalmente “subir”. Ou seja: embarcar em helicópteros e voar ainda por meia hora, uma hora ou mais, até pousar em cada uma das dezenas de plataformas petrolíferas cravadas ou ancoradas no meio do alto-mar, de oitenta a quase duzentos quilômetros da costa. O quase desconhecido, e muito propagandeado, mundo do “off-shore”.

Ali passam duas ou três semanas embarcados. Cada vez mais os estrangeiros também embarcam nas plataformas e tripulam os navios de apoio, lançadores de tubos, de mergulho, rebocadores. São brigadas de noruegueses, alemães, italianos e outros europeus, de norte-americanos, árabes, orientais, que ficam no mar por mais tempo que os nacionais. (mais…)

Ler Mais

O Brasil sem maquiagem. Imperdível!

Luiz Prestes

A nossa “realidade”, brasileira, aquela que nos chega diariamente pelos meios de comunicação, é exatamente isso: um make-up, uma maquiagem. Mas uma maquiagem tão mal feita que não esconde muita coisa, que não resiste a nem um pingo de água. Na nossa linguagem de cientistas sociais, chamamos isso de discurso. E o que nos espanta nesses discursos, é o quanto eles são aceitos sem crítica e sem discussão. Mas… será mesmo que não temos críticas a esses discursos? (mais…)

Ler Mais

Quintal produtivo: alternativa que gera vida e renda

Por Jeane Freitas, comunicadora da Cáritas Regional Ceará

Em pleno semiárido cearense agricultores/as da localidade de Mamoeiro em Cariús-CE, Diocese de Iguatú, distante 377 km da capital estão conseguindo superar a seca com alternativas produtivas, geração de renda e alegria, motivos que fazem a diferença nesse momento de incertezas.

Nesse tempo de estiagem os agricultores/as usaram da criatividade e para não ficarem estáticos começaram a desenvolver atividades como a quebra de pedras para produzir cal e fazer carvão, alternativas que ajudaram a driblar a escassez de recursos e consequentemente à fome. Além dessas atividades, com o apoio do projeto financiado pela Cáritas Espanhola, os agricultores/as iniciaram a experiência dos quintais produtivos que vem garantindo a segurança alimentar e nutricional na vida da família e da comunidade. Com essas iniciativas eles afirmam que a vida melhorou 100%. “Antes agente não tinha ganho de nada”, diz  o agricultor Vilmar um dos contemplados pelo projeto.

No quintal tem de tudo um pouco como banana, maracujá, ata, acerola, pimentão, quiabo, macaxeira, tomate, coentro, cebola, alface,  cenoura e beterraba onde são comercializados na própria comunidade. Animados eles pretendem ampliar a produção de verduras e legumes, criando galinhas e peixes para aproveitar todo o potencial que o quintal oferece. Já estão se preparando para entrar no programa de vendas para merenda escolar. (mais…)

Ler Mais

Cáritas comemora 30 anos de trabalho com mulheres

Por Victória Holzbach- Assessora de Comunicação da Cáritas Arquidiocesana de Passo Fundo

Era 1983. Vila Bom Jesus. Passo Fundo-RS. Ali, se iniciava uma história de resistência e organização das mulheres no município, que mais tarde resultaria em dezenas de grupos em diversas localidades da região.

O apoio da Cáritas Arquidiocesana para a construção de tanques comunitários no local começou a mudar a realidade e a vida das donas de casa, que antes utilizavam o rio para a lavagem de roupas. A partir deste momento, a organização de grupos de mulheres se tornou uma das principais bandeiras defendidas pela entidade – e comemora este ano 30 anos de história.

No decorrer destas três décadas, a entidade tem trabalhado com as mulheres em diversas perspectivas. Seja na organização de grupos, na formação de lideranças, no incentivo ao voluntariado, na promoção de oficinas de capacitação e geração de renda ou na realização de encontros de integração.

O desenvolvimento destas atividades propicia a reflexão de muitas temáticas pertinentes ao dia a dia das mulheres como combate a violência, preservação ambiental, combate e prevenção ao estresse, saúde da mulher, participação política e cidadã, alimentação saudável, autoestima, gênero e complementação e geração de renda. (mais…)

Ler Mais

Norte Energia descumpre mais uma vez acordo com índios e MPF pede multa milionária

Se Justiça decidir pela execução imediata do acordo, multa pode ser de R$ 2 milhões por dia de atraso.

por Redação Eco  Eco Reserva

O Ministério Público Federal pediu à Justiça que execute com urgência o acordo extrajudicial assinado pela Norte Energia S.A com os índios que ocuparam os canteiros de obras de Belo Monte.

Eles reivindicavam que a empresa cumprisse as condições socioambientais da licença da usina e aceitaram sair dos canteiros depois que a empresa assinou acordo, em 17 de outubro de 2012, durante audiência de conciliação ordenada pela Justiça.

A Norte Energia ganhou tempo para tomar uma série de medidas que já estavam atrasadas. Até dezembro de 2012, a Norte Energia deveria ter entregado sete unidades de proteção territorial nas áreas indígenas. Até novembro de 2012 deveria ter iniciado o programa de atividades produtivas, para gerar renda para as comunidades e recebido as lideranças indígenas em visitas aos canteiros de obras. Todos os prazos acabaram mais uma vez e pontos essenciais do acordo foram descumpridos. (mais…)

Ler Mais

Campanha contra agrotóxicos critica patrocínio do agronegócio à Vila Isabel

Por José Coutinho Júnior, Da Página do MST

Faz um bolo de fubá
Pinga o suor na enxada
A terra é abençoada
Preciso investir, conhecer
Progredir, partilhar, proteger…

O samba acima é enredo da escola Vila Isabel para o desfile do carnaval de 2013, escrito por Martinho da Vila, Arlindo Cruz, André Diniz, Tunico da Vila e Leone.

A escola pretende com o tema Vila canta o “Brasil celeiro do mundo – ‘Água no feijão que chegou mais um…”, fazer uma homenagem à vida do homem simples do campo (clique aqui para ouvir o samba).

Segundo a carnavalesca Rosa Guimarães, que desenvolveu o tema “A vida no interior é simples, mas é uma festa. Tem sempre alguém querendo contar um ‘causo’, aquela mesa farta e muita fé em Deus e no trabalho para ter uma boa colheita. As pessoas recebem os vizinhos e amigos com muito carinho e tem sempre aquele fogão de lenha acesso para preparar os quitutes”.

No entanto, o desfile da Vila Isabel tem uma grande contradição: a escola é patrocinada pela Basf, empresa transnacional, fabricante de agrotóxicos e representante dos interesses do agronegócio, que tem interesses opostos aos do “homem simples do campo” retratado no samba enredo. (mais…)

Ler Mais