Manifesto de ocupação pacífica e cultural da Aldeia Maracanã na Funai – Museu do Índio de Botafogo

Hoje, dia 23 de março de 2013 – sábado, por volta das 15 horas, os indígenas da Aldeia Maracanã ocuparam, pacífica e culturalmente, as dependências da FUNAI – Fundação Nacional do Índio, Museu do Índio de Botafogo – Rua das Palmeiras, número 55, no Rio de Janeiro.

A ocupação se dá em repúdio à ação articulada e coordenada em que se viu o poder econômico com empresários, gestores públicos, juízes, serventuários de justiça e as forças de segurança estaduais, que tiveram o claro propósito de expropriar o território indígena e causar danos culturais, materiais e imateriais ao segmento mais vulnerável da sociedade nacional – O ÍNDIO.

A expropriação do imóvel do antigo Museu do Índio no Maracanã, ocorreu de forma truculenta, desrespeitosa, humilhante e ilegal, sem a defesa, apoio e atuação do Governo Federal através da FUNAI – Fundação Nacional do Índio, AGU – Advocacia Geral da União e o MPF – Ministério Público Federal.

Convocamos a população a visitar o museu e participar das atividades culturais dos indígenas ocupantes, através da vivência e do aprendizado de sua cultura – cantos, danças, pinturas, celebração da ancestralidade e contação de histórias, nos moldes do que já era realizado na Aldeia Maracanã.  (mais…)

Ler Mais

BLOG URGENTE! Indígenas da Aldeia Maracanã fazem uma “retomada” do Museu do Índio, em Botafogo, exigindo a reintegração de seu território

Tania Pacheco – Combate ao Racismo Ambiental

A indicação dada pelo Secretário de Cultura do Estado do Rio de Janeiro no twitter, achando que fazia humor ao escrever que era uma tolice a luta pela Aldeia Maracanã, pois o Museu do Índio ficava em Botafogo, parece ter sido levada ao pé da letra, de alguma forma, pelos representantes das diversas etnias violentamente expulsas, ontem, do antigo Museu. Em pequenos grupos, @s indígenas se dirigiram à Rua das Palmeiras. No meio da tarde, anunciaram inclusive, pelas redes sociais, que lá estariam, caso as pessoas quisessem conhecê-los e conversar sobres suas culturas. Só não avisaram que às 17 horas, quando o Museu deveria ser fechado, teoricamente, lá permaneceriam. E é lá que estão e ficarão, lutando, neste novo espaço, pela reintegração do seu “território” no antigo Museu do Índio, por eles transformado em Aldeia Maracanã.

A “retomada” (se é que assim podemos chamar esta ocupação urbana forçada pelo governo do estado do Rio de Janeiro) foi totalmente pacífica. Para @s visitantes normais e as pessoas que atenderam ao convite via redes sociais, o grupo deu esta tarde uma “aula” sobre suas culturas, tradições e a realidade que fez com que ali estivessem. Chegada a hora de o Museu fechar, finalmente, informaram aos funcionários presentes que ali permaneceriam.  (mais…)

Ler Mais

Comissão de Direitos Humanos para [email protected]! Ato público segunda, dia 25, às 18 horas, na ABI

Na próxima segunda-feira (25/03) um grande ato em defesa da “Comissão de Direitos Humanos para [email protected]” reunirá lideranças religiosas, parlamentares, artistas e movimentos sociais, na ABI – 9° andar – às 18h, contra um projeto político de intolerância que a presidência do pastor Marco Feliciano representa para o Congresso e para os brasileiros.

O evento é uma iniciativa de diversos setores, entre eles, do deputado estadual e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Alerj, Marcelo Freixo, da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, da Justiça Global, da Comissão de Direitos Humanos da OAB, da Comissão da Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos da ABI, da Rede Fé e Política – RJ, dos deputados federais e membros da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos, Chico Alencar e Jean Wyllys, entre outros, para mostrar que todas as crenças religiosas estão unidas contra esse projeto político representado pelo deputado Marco Feliciano.

Será um ato que reunirá todas as religiosidades em torno de uma mesma causa. A Comissão de Direitos Humanos tem que representar uma outra política, que não é a representada pelo Feliciano, acusado de fazer declarações preconceituosas em redes sociais sobre africanos, homossexuais e mulheres.

Ler Mais

Fazendeiros atropelam e matam menino de 4 anos, o quinto da família, e mídia do MS ainda tenta responsabilizar a avó

Nota: A denúncia abaixo foi noticiada pelo jornal eletrônico Midiamax, do MS. Na versão, a avó, embriagada, levava três crianças, e o menino atropelado estaria andando no meio da pista, o que levou o veículo a atingi-lo em cheio. A mãe e o avô, chamados ao local do acidente, também estariam embriagados. Ou seja: não é só matar, mas, também denegrir! É uma situação duplamente revoltante e inadmissível! Aonde vamos parar? TP.  

Informativo da Aty Guasu contra genocídio

É com profundo pesar, vimos informar a todos (as) que menino guarani-kaiowá de 4 anos do acampamento da margem da rodovia Ponta Porã e Dourados foi atropelado e dilacerado pelo carro das fazendas.

À noite do 22/03/2013, um carro seguiu e tentou atropelar um grupo de família Guarani-Kaiowá do acampamento de Tekoha Apyka’i; os adultos correram mas a criança não conseguiu se esquivar do carro. Assim o carro pisou e dilacerou o menino, o condutor do veiculo fez isso e foi embora em alta velocidade do local.

Com esse menino já são cincos Guarani-Kaiowá atropelados e dilacerados pelo carro das fazendas nessa mesma rodovia br. Em um ano, três Guarani-Kaiowá do acampamento indígena de Apyka’i foram atropelados de formas iguais pelo condutor; visivelmente o atropelamento ocorreu de modo intencional, isto é, não é acidente não. (mais…)

Ler Mais

De Cabral a Cabral: os genocídios não param

Por Núcleo Akofena

São cenas de guerra, a desgraça em praça pública assistida por uma nação. Eles, como sempre estão lá, brinquedinhos do governo, soldadinhos acéfalos de chumbo. Empunham armas de fogo, alimentados por sangue. Amantes da carnificina, capitães do mato contemporâneos exercem a truculência genocida que o Estado brasileiro tem para nós, os índios e os negros.

Enquanto bravamente resistem os irmãos indígenas da Aldeia Maracanã, no Rio de Janeiro, nós, do Núcleo Akofena, aqui do negro recôncavo baiano, alimentamos de ódio a nossa militância acompanhando agoniados os noticiários. Vivemos insuflados de revolta pela guerra racial que travaram contra nós desde o sequestro à Africa, esta mesma revolta, sentimos pela guerra, também racial, travada contra os povos indígenas em suas terras, nos compreendemos do mesmo lado da trincheira de luta. (mais…)

Ler Mais

Pesquisa aponta potencial do fruto tucumã para a produção de energia

Manaus – O crescimento acelerado do consumo mundial de energia e as incertezas em relação ao fornecimento de combustíveis fósseis intensificam a busca por fontes renováveis.

A região amazônica, que abrange 60% do território brasileiro, apresenta diversidade de fontes renováveis, principalmente resíduos de biomassas vegetais como: caroço do açaí, caroço do fruto do tucumã, caroço do bacuri, ouriço de castanha-do-Brasil, ouriço de sapucaia e casca de cupuaçu.

Em busca de uma solução para a utilização de resíduos de biomassas vegetais para a produção de energia, o doutorando em Engenharia Química pela Universidade de Campinas (Unicamp), Vicente Franco Nascimento, comprovou que o fruto do tucumã (Astrocarym aculeatum) tem potencial para gerar energia por meio da termoconversão.

O resultado foi obtido durante o projeto de pesquisa ‘Caracterização de biomassas amazônicas – ouriço de castanha-do-brasil, ouriço de sapucaia e caroço do fruto do tucumã visando sua utilização como insumo energético em processos de termoconversão’, realizado de 2010 a 2012 na Unicamp. (mais…)

Ler Mais

ONU: dos 7 bilhões de habitantes do mundo, 6 bi têm celulares, mas 2,5 bi não têm banheiros

O Vice-Secretário-Geral da ONU, Jan Eliasson, lançou um apelo nesta quinta-feira (21) para reverter a situação de um planeta onde há mais celulares do que banheiros — e onde 2,5 bilhões de pessoas não têm saneamento básico. Eliasson pediu para que governos, empresas e organizações internacionais se mobilizem e realizem ações mensuráveis para aumentar rapidamente o acesso ao saneamento básico.

O chamado para a ação, feito na véspera do Dia Mundial da Água, 22 de março, pretende centrar-se em ações que visem a melhoria da higiene, mudança das normas sociais, melhor gestão de dejetos humanos e águas residuais e, até 2025, elimine completamente a prática da defecação a céu aberto, que perpetua o ciclo vicioso de doença e pobreza enraizada. (mais…)

Ler Mais

Mais uma vitória (ainda parcial): “Governo de MS manda equipe apurar racismo contra índios em escola”

Estudantes da escola da aldeia Campestre (Foto: Ruy Sposati/Cimi)

Nota: a primeira denúncia a respeito foi feita por Ruy Sposati, em matéria à qual demos o título de Mato Grosso do Sul e a indignidade e violência de cada dia: “Chamados de ‘sujos’ e ‘fedidos’, indígenas são expulsos de sala de aula”, em 19/03. No mesmo dia, a Defensora Pública Neyla Ferreira Mendes enviava Ofício ao diretor da escola cópia do texto e um questionário a respeito. A resposta chegou no dia seguinte, conforme pode ser visto em MS – Pelos direitos das crianças indígenas, uma Defensora Pública digna cobra de um educador que não educa. No mesmo dia, o Ministério Público Federal também mandava investigar a questão (Polícia deve investigar prática de racismo contra indígenas em escola).  Finalmente, a Secretaria de Educação manda uma equipe à escola. TP.

G1-MS – A Secretaria de Educação de Mato Grosso do Sul (SED) encaminhou, nesta sexta-feira (22), uma equipe para Antônio João, a 402 km de Campo Grande, para apurar suposta prática de injúria e racismo em uma escola estadual na cidade. O caso foi denunciado por lideranças indígenas à Funai e repassado ao Ministério Público Federal (MPF). O órgão, por sua vez, pediu à Polícia Federal (PF) para investigar a situação. (mais…)

Ler Mais

Mais uma: “RJ muda edital do Maracanã após suspeita sobre empresa de Eike”

Presidente da IMX, Alan Adler (centro), junto com Eike Batista: interessados no Maracanã

Vinicius Konchinski, do UOL, no Rio de Janeiro

Dois dias depois do MPF (Ministério Público Federal) e do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) entrarem com uma ação judicial para suspender a privatização do Maracanã, o governo do Rio de Janeiro resolveu alterar o edital da licitação.

Conforme informou o UOL Esporte, promotores e procuradores apontaram na última segunda-feira problemas na concorrência pelo controle do estádio e indícios de favorecimento à IMX, empresa do bilionário Eike Batista. Depois disso, na quarta, o governo mudou as regras e permitiu que mais companhias disputem a concessão do espaço.

A mudança no edital do Maracanã foi publicada no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro. Com ela, o governo abriu um novo período de visitas técnicas ao complexo esportivo, na segunda e terça-feira da semana que vem. (mais…)

Ler Mais

Isto é que é gestão pública: “Maracanã dará lucro de R$ 1,4 bi a concessionária e perda de R$ 111 mi a RJ”

Cobertura do Maracanã é colocada em uma das etapas finais da obra para a Copa

Vinicius Konchinski, do UOL, no Rio de Janeiro

A privatização do Maracanã deverá dar um lucro de R$ 1,4 bilhão à empresa que assumir o controle do estádio pelos próximos 35 anos. Durante esse período, porém, o governo do Rio de Janeiro, dono do complexo esportivo, amargará uma perda de R$ 111 milhões por ceder o espaço à iniciativa privada.

Os valores são algumas das conclusões do estudo de viabilidade econômica da concessão produzido a pedido do próximo governo. A análise foi feita pela IMX, empresa do bilionário Eike Batista. Foi com base nela que a administração estadual decidiu que privatizar o estádio é a melhor alternativa econômica para depois da Copa do Mundo. (mais…)

Ler Mais