Mês dos Povos Indígenas no Museu Goeldi, de 14 a 19 de abril

Manifestações culturais diversas fazem parte das atividades em comemoração aos povos indígenas, que inclui exposição e oficinas

Jéssica Silva* – Agência Museu Goeldi

Com objetivo de homenagear, dialogar e divulgar a cultura dos povos indígenas, o Museu Paraense Emílio Goeldi organizou uma agenda especial que acontece entre os dias 14 e 19 de abril. Oficinas, exposições, roda de danças e trilha interpretativa fazem parte da programação.

Para dar início à programação no dia 14, acontece de 9h30 às 11h30, a Roda de Danças Sagradas dos Povos Tradicionais das Américas, pela Organização não- Governamental Mana-Maní). A ONG, presente à Semana de Povos Indígenas do Museu Goeldi, é uma iniciativa que propõe arte, educação, saúde e comunicação através de danças circulares e de um relacionamento corpo, consciência e espiritualidade, e assim realizar trocas de conhecimentos. A abordagem das Danças Circulares inclui várias tradições brasileiras, sobretudo paraenses.

A proposta da roda, aberta ao público, é, segundo Déa Melo, focalizadora da roda de dança, de vivenciar um “diálogo entre ancestralidade e atualidade e despertar memórias criativas que geram renovação, transformação e autogestão no cotidiano”.

Exposição- A partir do dia 16, acontece a “Exposição: Preservando a língua dos Puruborá”. A mostra vai permitir ao público visitante conhecer a pesquisa da lingüista do Museu Goeldi, Dra. Ana Vilacy, sobre o resgate da história e da língua falada por essa etnia que atualmente tem apenas quatro falantes da língua Puruborá, todos idosos. Como parte desse trabalho, Vilacy escreveu um cartilha com os nomes de animais amazônicos descritos pelos idosos para preservar e divulgar junto ao grupo indígena, localizado em Rondônia, parte de sua identidade. Desde 2005, professores Puruborá vêm realizando, em parceria com o Museu Goeldi, um processo de alfabetização e aprendizagem pelos descendentes mais jovens desse vocabulário recuperado de cerca de 700 palavras e algumas dezenas de frases.

Não só na exposição como também no Parque Zoobotânico(PZB) do Museu Goeldi, o visitante encontrará os nomes Puruborá de alguns animais amazônicos. Para tanto, está programada “Na trilha dos Puruborá”, atividade que consiste na participação de grupos de até 25 pessoas para conhecer a fauna do Parque Zoobotânico através do vocabulário Puruborá.

Máscaras indígenas – Para os indígenas as máscaras, além ser confeccionadas por um homem comum, elas também representam a figura da sua espiritualidade e aproximam forças sobrenaturais dele. Usadas em festas e cerimoniais, esses artefatos valorizam a arte indígena, fortalecem uma herança de significados e manifestações culturais em nossa sociedade. Uma oficina sobre o tema “Qual é a máscara?”, será ministrada pelas educadoras Graça Santana e Ana Cláudia Silva, que acontecerá nos dias 18 e 19, na Biblioteca Maria Clara Galvão, localizada no PZB. O público alvo é composto por professores, estudantes de ensino médio e superior. A oficina abrirá 20 vagas para os participantes.

Serviço – Abril 2013, Mês dos Povos Indígenas no Museu Goeldi acontece entre os dias 14 e 19 de abril. Para informações e inscrições, poderão ser contatadas: Ana Cláudia Silva (acsilva@museu-goeldi.br) através do telefone 3182 3242 e Helena Quadros (hquadros@museu-goeldi.br), 3182 3219.

*Edição: Lilian Bayma

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.