Compensação climática serve de pretexto para deslocamento forçado, denuncia artigo

Camila Queiroz, Jornalista da ADITAL

Na Colômbia, mais precisamente na região geográfica dos Montes de María, estratégias de compensação climática, como os Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL) e o reflorestamento voluntário, “matam” vários coelhos com uma cajadada só. É o que denuncia o artigo “A luta contra a mudança climática como ferramenta para a legalização do saque, controle territorial e imposição de megaprojetos agroindustriais”, da Corporação Social para a Assessoria e Capacitação Comunitária (Cospacc).

Segundo a organização, o conglomerado Argos S.A., composto por 31 empresas colombianas e 51 estrangeiras, desenvolve projeto que resulta em deslocamentos forçados, assassinatos de lideranças e militarização. Com a plantação da árvore Teca, a Argos, garante controle territorial por, no mínimo, 25 anos; apóia grupos paramilitares e, de quebra, terá lucro de milhões de dólares.

De acordo com o artigo, desde 1982 a Argos refloresta regiões dos departamentos de Cauca, Antioquia, Sucre, Boyacá e Córdoba. 66% da madeira é Teca, que não por acaso tem alto valor. As plantações de Teca se concentram nos Montes de María, nos municípios de San Onofre (2.025 hectares), e Ovejas, San Jacinto e Carmen de Bolívar (10 mil hectares), e Puerto Libertador, em Córdoba (2.200 hectares). (mais…)

Ler Mais

Fome pode matar 750 mil pessoas na Somália em quatro meses, estima ONU

Renata Giraldi, Repórter da Agência Brasil

Brasília – A fome pode causar a morte de que cerca de 750 mil pessoas, principalmente crianças e adolescentes, nos próximos quatro meses, na Somália. A conclusão está em um relatório do Centro de Análise para Segurança Alimentar das Nações Unidas, divulgado hoje (5) em Nairóbi, no Quênia.

Para a Organização das Nações Unidas (ONU), o controle da situação na Somália e de outros países da região denominada Chifre da África, como o Quênia e a Etiópia, depende da comunidade internacional. O objetivo é reunir aproximadamente US$ 2,4 milhões na tentativa de conter a crise alimentar na área.

A Somália é o país mais afetado pela fome e pela seca na região. De acordo com especialistas, a crise atinge cerca de 13 milhões de somalis. As principais vítimas são crianças com menos de 5 anos. (mais…)

Ler Mais

Sem-terra chegam a Brasília para apresentar projeto de empresa agrícola comunitária

Roberta Lopes *, Repórter da Agência Brasil

Brasília – Cerca de 200 representantes do Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) chegaram a Brasília hoje (5) para uma série de atividades na capital federal. Eles fizeram um percurso de mais de 200 quilômetros (km), de Goiânia (GO) a Brasília. Eles ficarão acampados até sexta-feira (9) no Parque da Cidade, no centro da cidade.

A Marcha da Reforma Agrária do Século 21: Aperte a Mão de Quem O Alimenta tem como objetivo pedir o assentamento de 60 mil famílias que se estão acampadas nas estradas de todo o país, a desapropriação de terras improdutivas e contra o uso excessivo de agrotóxicos nas lavouras.

“Estamos apresentando ao governo um projeto de empresa agrícola comunitária, em que os trabalhadores são donos da produção e essa produção se baseia na agroecologia, ou seja, em alimentos sem uso de agrotóxicos”, disse o coordenador do movimento, Edvaldo de Oliveira. (mais…)

Ler Mais

Campanha da legalidade 50 anos depois (vídeo)

Por Gilberto Felisberto Vasconcellos*

Wagner Nabuco me pediu um artigo sobre a campanha da legalidade, que neste ano faz 50 anos. Então como eu não posso deixar de atendê-lo, dado que somos brizolistas, eu vou traçar algumas notas sobre esse acontecimento que ocorreu no Rio Grande do Sul em 1961 e que eu reputo como um acontecimento mais alto astral do ponto de vista progressista na historia do Brasil no século XX. Seguramente foi o acontecimento mais progressista e libertário da historia do Brasil. O último porque depois de 1961 veio o desastre que foi o golpe de 64, e de lá para cá não houve nenhum acontecimento épico em que houvesse uma união entre determinados políticos e o povo nas ruas. (mais…)

Ler Mais

Males da carreira adoecem 18 mil professores em Minas

Depressão e problemas na voz e na coluna são as principais doenças que acometem os educadores

Indisciplina e baixo desempenho dos alunos causaram depressão em professora

Cláudia Giúza, Especial para O Tempo

A agressão e as ameaças de morte feitas por um aluno de 15 anos à diretora de seu colégio trazem à tona a falta de segurança e a fragilidade do sistema de ensino brasileiro. O caso aconteceu recentemente em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, mas retrata a realidade de grande parte dos profissionais da educação no país. A tensão no ambiente de trabalho é um dos motivos que adoecem os professores e, muitas vezes, os forçam a deixar a sala de aula. Em Minas, dos 183.296 professores estaduais, 8.859 foram transferidos para outras funções e 9.017 aguardam perícia médica – são 17.876 docentes afetados. A situação se repete na capital, onde 786 dos 10.499 servidores deixaram as salas de aula.

Maria*, 54, deu aulas de biologia por 23 anos em João Monlevade, na região Central, mas parou de lecionar por problemas de saúde. “Perdi a minha voz completamente e tive depressão. Não aceitava a minha incapacidade de fazer o que sempre amei”, conta. Além dos problemas físicos, ela diz que a readaptação também trouxe danos psicológicos. “Me jogaram em uma biblioteca empoeirada e mofada. Antes, tinha um problema de voz e, agora, me sinto emocionalmente incapaz de desenvolver qualquer tipo de trabalho na escola”, explica. (mais…)

Ler Mais

Comitê Anti-Racismo da ONU solicita ao Reino Unido que suspenda despejo de ciganos

Nova Iorque, 05 set (RV) – As Nações Unidas anunciaram profundo pesar pela insistência das autoridades do Reino Unido em despejar ciganos e famílias nômades irlandesas do condado de Essex. As autoridades alegam não terem condições de providenciar acomodações alternativas apropriadas culturalmente a eles.

“Nós pedimos que o Governo suspenda o plano de despejos, o que poderia afetar desproporcionalmente as vidas dos ciganos e dos nômades irlandeses, particularmente mulheres, crianças e idosos”, disseram em pronunciamento membros do Comitê para a Erradicação da Discriminação Racial das Nações Unidas numa resposta à decisão de despejar as famílias da comunidade de Dale Farm.

“Nós pedimos que as autoridades encontrem uma solução harmônica e justa, que inclua a identificação de acomodações culturalmente apropriadas, com total respeito aos direitos das família envolvidas”, completaram. (mais…)

Ler Mais

Incra publica relatório de demarcação da comunidade quilombola Curral da Pedra (BA)

Curral_da_PedraO Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) do Médio São Francisco publicou na quinta-feira (1º), no Diário Oficial do Estado da Bahia, edital do Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID) da comunidade remanescente quilombola Curral da Pedra, no município de Abaré (BA), no Sertão baiano. A comunidade é composta por 102 famílias e o território identificado e delimitado possui área de 4.515 hectares.

A publicação do RTID é uma etapa obrigatória no processo de regularização de terras quilombolas e também a mais complexa para a titulação de um território, pois aborda a história da comunidade, a ancestralidade, a tradição e a organização socioeconômica dos remanescentes de quilombos, além de identificar e delimitar o território. Com a publicação, o Incra inicia o processo de notificação dos 77 ocupantes (proprietários e posseiros), além dos conflitantes inseridos no território ou nos limites do perímetro de 32.529 metros. Após a notificação, corre um prazo de 90 dias para a realização de contestações.

Superada essa etapa, é publicada uma portaria de reconhecimento por parte do Incra. Em seguida, o processo segue para ser decretado como de interesse social pela Presidência da República. Só com o decreto o Incra pode iniciar a fase de desintrusão dos não-quilombolas através da arrecadação de terras públicas ou desapropriação de propriedades particulares para, enfim, seguir à titulação do território em nome da comunidade. (mais…)

Ler Mais

Grito em Defesa da Amazônia – 07/09/11 – Belém

No dia 7 de setembro haverá nova manifestação contra a construção de Belo Monte, contra a aprovação do Novo Código Florestal, contra a MP que reduz o tamanho de áreas de conservação e pelo fim dos assassinatos no campo. Concentração a partir das 8:00h na Escadinha do Cais do Porto, no início da Avenida Presidente Vargas. Belém, Amazônia, Brasil.

Divulguem e mobilizem em suas cidades. O grito é de [email protected] nós!
http://xingu-vivo.blogspot.com/

Ler Mais

Brasil é “altamente preconceituoso, racista e excludente”

por Lusa

O Brasil é uma sociedade “altamente preconceituosa, racista e excludente”, classifica o escritor, compositor e intelectual de estudos afro-brasileiros, Nei Lopes, um dos participantes da Bienal Internacional do Rio de Janeiro.

Nei Lopes esteve no domingo ao lado do escritor angolano Pepetela, a participar num debate sobre “África — Brasil: transas literárias, transes existenciais” no espaço do “Café Literário” da Bienal.

“Temos que admitir que o Brasil é composto por uma sociedade altamente preconceituosa, racista e excludente. Chegou a hora de reescrever essa história, somos protagonistas dela também, assim como o continente africano é protagonista nos momentos importantes do mundo. Isso tem que ser dito, se não fosse a África, o mundo ocidental não teria crescido do jeito que cresceu”.

O autor lembra que antes era uma “ofensa” dizer que alguém tinha origem afro descendente. (mais…)

Ler Mais