Semana do Cerrado: Mutirão alcançou mais de 1100 moradores da região

Avaliação-MutirãoArticulação Popular São Francisco Vivo

Resistência, esperança, realidade, luta, organização, pertencimento, sofrimento, religiosidade, vida e morte. Essas foram algumas das palavras utilizadas pelas equipes que participaram do Mutirão do Cerrado para descrever as comunidades visitadas no período de 9 a 11 de setembro no Oeste da Bahia e Norte de Minas Gerais.

As seis equipes que participaram do mutirão se reuniram nesta sexta-feira, 12 de setembro, para relatar as experiências vividas em 38 comunidades de 12 municípios: Côcos, Coribe, Correntina, Jaborandi e Santa Maria da Vitória, na Bahia, e Arinos, Chapada Gaúcha, Itacarambi, Jaíba, Januária, Matias Cardoso e São João das Missões, em Minas Gerais. (mais…)

Ler Mais

E São Paulo fez, novamente, o que faz de melhor: expulsar pobre, por Leonardo Sakamoto

Policiais disparam balas de borracha durante confronto com moradores em ação de reintegração de posse no centro (Foto: Alan Morici/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)
Policiais disparam balas de borracha durante confronto com moradores em ação de reintegração de posse no centro (Foto: Alan Morici/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)

por Leonardo Sakamoto

Foram bizarras as cenas de violência policial contra os sem-teto na desocupação de um prédio, na região central de São Paulo, nesta terça (16).

Daí, dou uma fuçada na rede e vejo que há muita gente defendendo o que houve. Dizendo que a pancadaria foi justa (pancadaria, sim, porque não existe confronto possível entre bombas e balas e paus, pedras e móveis usados). Ou que os sem-teto estavam “pedindo” para apanhar ao ocuparem um edifício.

Quando vejo pessoas ocuparem um prédio ocioso, não consigo deixar de ficar feliz porque aquele imóvel, finalmente, poderá ter uma função social. Com exceção do dono do prédio, de outros donos de edifícios ociosos e de seus representantes políticos, legais e econômicos, ou das pessoas que pertençam às mesmas classes sociais desse pessoal já citado ou que é por eles pagos para defender seus interesses, é difícil entender a razão de ter gente que sai atacando uma ocupação de sem-teto como essa, fazendo o papel de soldadinho não-remunerado. (mais…)

Ler Mais

Primeiros títulos a quilombolas catarinenses serão entregues durante encontro

Foto: Incra
Foto: Incra

Serão os primeiros títulos entregues a comunidade quilombola em Santa Catarina pelo Incra

Diário Caçadorense

As famílias quilombolas dos municípios de Campos Novos e Abdon Batista receberão nesta semana os títulos definitivos de três áreas que compõem parte do território quilombola Invernada dos Negros. Serão os primeiros títulos entregues a comunidade quilombola em Santa Catarina pelo Incra, autarquia federal responsável pela regularização fundiária dos territórios remanescentes de quilombos.

A entrega dos títulos será realizada durante o Encontro Estadual dos Territórios Quilombolas Catarinenses, evento que acontecerá nos dias 17 e 18, no Hotel Itaguaçu, em Florianópolis, e reunirá representantes das 12 comunidades quilombolas catarinenses já reconhecidas, movimentos sociais e instituições públicas, para a troca de informações, experiências e fortalecimento das causas e interesses quilombolas.

Compondo também a programação, será instalada a Mesa de Acompanhamento da Política de Regularização dos Territórios Quilombolas Catarinenses, um importante fórum permanente de diálogo, acompanhamento e consolidação da política de regularização de áreas quilombolas. A mesa, que fará a sua primeira reunião durante o evento, é formada por órgãos governamentais ligados à questão e representantes da sociedade civil, e se reunirá semestralmente com o objetivo de oferecer maior transparência nos processos de regularização dos territórios quilombolas e receber as sugestões e pleitos dessas comunidades. (mais…)

Ler Mais

Justiça aos Tembés – Após 35 anos de luta, povo indígena tem terra demarcada

Foto: Cobertura realizada na Festa do Moqueado na aldeia Itaputyre, Novembro de 2013 / Mídia NINJA
Foto: Cobertura realizada na Festa do Moqueado na aldeia Itaputyre, Novembro de 2013 / Mídia NINJA

Por Ivânia Neves, NINJA

Nosso principal patrimônio cultural é a terra. Não tem como vivermos nossa cultura sem a nossa terra! – Naldo Tembé – Aldeia Sede

As políticas públicas em relação às sociedades indígenas, desde o início do período colonial, estiveram sempre comprometidas com regimes de exploração e violência, organizadas a partir de diferentes estratégias, que procuraram interferir e silenciar as práticas culturais e as histórias destes povos.

Se a princípio estas iniciativas eram ditadas pelos interesses da Coroa Portuguesa, o Império e a República do Brasil, sem muita hesitação, em nome do desenvolvimento e da integração do país, deram prosseguimento a este sistema. Das tensões que marcaram e continuam marcando com sangue indígena a história e o território deste país, nasceu uma legislação, ainda ameaçada pelos interesses ruralistas, capaz de garantir as terras indígenas no Brasil. (mais…)

Ler Mais

Conselho Nacional dos Direitos Humanos tem nova composição para 2014-2016

Para ministra, momento representa transformação significativa após uma luta de quase 20 anos. Foto: Mariana Leal
Para ministra, momento representa transformação significativa após uma luta de quase 20 anos. Foto: Mariana Leal

SDH – As nove organizações da sociedade civil que passarão a compor o Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) no biênio 2014-2016 foram escolhidas na manhã desta terça-feira (16) por representantes de 50 entidades habilitadas.

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti, abriu o Encontro Nacional, que elegeu a nova composição do CNDH. Para Ideli Salvatti, o momento representa transformação significativa após uma luta de quase 20 anos para a recriação do conselho, concretizada com a Lei nº 12.986, de 2014.

“Agora, o CNDH tem novas prerrogativas, além de paridade de representação com presença do Estado e da sociedade civil. O conselho ampliou suas competências e consequentemente sua força institucional. Realço que a participação popular é método de trabalho. Sem ela, não há como efetivar políticas públicas para os que mais precisam. Participação social faz bem, só ajuda”. (mais…)

Ler Mais

PA – Por resolução de problemas em assentamentos e acampamentos, famílias ocupam INCRA em Conceição do Araguaia

ocupao incra ataguaiaCPT – Na tarde dessa segunda-feira, 15 de setembro de 2014, cerca de 150 trabalhadores/as rurais ligados ao STTR e LCP ocuparam a sede da Unidade Avançada do INCRA de Conceição do Araguaia. O objetivo da manifestação é exigir do órgão responsável pela Reforma Agrária no Brasil, solução para os diversos problemas enfrentados por assentados e acampados da Região.

Historicamente a Região Sul do Pará, especialmente na década de 1980, afamou-se pela violência praticada contra trabalhadores/as rurais. Na luta pela democratização da terra, muitos foram espancados, torturados, ou mesmo mortos pelas mãos do latifúndio, manchando com sangue a Reforma Agrária no Estado do Pará.

Conceição do Araguaia, após anos de batalha, hoje se orgulha por ser o Município com maior número de Projetos de Assentamentos criados no Estado do Pará. No entanto, ao INCRA, órgão responsável pela gestão e infraestrutura dos PA’s existentes, falta competência. Por outro lado, restam-lhe reivindicações de famílias acampadas solicitando regularização de suas áreas. (mais…)

Ler Mais

Corporativismo atrapalha ações da Ouvidoria da Polícia

Guga Kastner/Ponte Jornalismo
Guga Kastner/Ponte Jornalismo

Por Talita Alessandra, Brasil de Fato

De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, a quantidade de pessoas mortas por policiais militares no Estado subiu 111% no primeiro semestre de 2014 comparado ao mesmo período do ano passado. Embora tal aumento não passe despercebido pela sociedade, que denuncia tais atrocidades, os canais públicos de denúncia continuam ineficientes.

É o caso, por exemplo, da Ouvidoria da Polícia, órgão da comunidade civil, independente, cuja principal função, é “ser porta-voz da população em atos irregulares praticados pela Polícia Civil e pela Polícia Militar”.

O ouvidor das Polícias do Estado de São Paulo, Julio Cesar Fernandes Neves, que também é advogado e membro da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo, explica que a Ouvidoria recebe denúncias diariamente e, embora não tenha poder para apurar e investigar, é obrigação de quem assume o cargo de ouvidor sair em campo para conhecer as situações e se empenhar na busca por providências contra atitudes arbitrárias de policiais. Quando o crime é grave, no caso de homicídio, por exemplo, a Ouvidoria encaminha a denúncia ao Ministério Público. (mais…)

Ler Mais

UFBA: Seminário Especial Etnologia & Imagem, 25 e 26/09

CARTAZ PPGAMarina Guimarães Vieira, UFBA

Iniciando a programação dos Seminários PPGA do semestre 2014.2, o Programa recebe na quinta e na sexta-feira, 25 e 26.09, no Auditório do Pavilhão Raul Seixas, em São Lázaro, o Seminário Especial Etnologia & Imagem. Na quinta-feira, a programação inclui a mostra da série “Vídeo nas Aldeias”, pela manhã, das 9h00 às 12h00, e a exibição do filme “Quando os Yãmiy vêm dançar conosco” (2012, 52′, direção: Isael Maxakali, Suely Maxakali e Renata Otto), seguida de debate com o diretor, Isael Maxakali, compondo mesa com os professores Fernando Firmo e Marina Vieira, ambos do PPGA. Na sexta-feira, sempre no Auditório do PRS, às 10h00, terá lugar a conferência “A ‘cultura’ vista da igreja: modelos de transformação na Amazônia indígena”, ministrada pela Profa. Dra. Aparecida Vilaça, do Museu Nacional – UFRJ.

O evento é aberto a [email protected] e gratuito.

Enviada por Pablo Matos Camargo para a lista Cedefes.

Ler Mais

MG – Oficina sobre Direitos de Povos e Comunidades Tradicionais, de 19 a 21/09

QuadroQuilombolasMPMG

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais e em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), promove, de 19 a 21 de setembro, em Teófilo Otoni, oficina voltada para representantes de comunidades e povos tradicionais que vivem na região do Vale do Mucuri.

O objetivo é apresentar a essas pessoas o projeto Mapeamento dos Povos e Comunidades Tradicionais de Minas Gerais, do Programa Cidade e Alteridade, da UFMG, além de capacitá-las para que conheçam melhor os seus direitos e as políticas públicas destinadas a essas comunidades, como, por exemplo, o direito à regularização territorial.

São esperados cerca de 50 participantes, entre lideranças de comunidades quilombolas, povos indígenas, ciganos, povos de terreiros, vazanteiros, geraizeiros. (mais…)

Ler Mais

Conselho Nacional de Saúde debate a criação do Instituto Nacional de Saúde Indígena (INSI)

Foto: Luís Oliveira/Sesai-MS
Foto: Luís Oliveira/Sesai-MS

Equipe de Comunicação do CNS

O pleno do Conselho Nacional de Saúde (CNS) fez debate na última quarta-feira (10) na Reunião Ordinária mensal sobre a proposta de criação do Instituto Nacional de Saúde Indígena (INSI).

O pleno do CNS reconheceu o esforço do Governo em atender as demandas dos povos indígenas, mas destacou dúvidas em relação à natureza jurídica e o papel da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) frente ao INSI e do Controle Social frente ao Conselho de Administração do Instituto.

Segundo o Conselheiro Nacional, Edmundo Omore, a criação do Instituto é uma saída para a melhoria da atenção básica na aldeia e também para a alta e média complexidade. “Vai facilitar a demanda atual nos 34 Distritos Indígenas”, afirmou. (mais…)

Ler Mais