Rio+20 Negro: Reunião nacional de mobilização e articulação dos Movimentos Sociais Negros dia 2/9

A cidade do Rio de Janeiro será a sede da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, em 2012. O encontro recebeu o nome de Rio+20 e visa a renovar o engajamento dos líderes mundiais com o desenvolvimento sustentável do planeta, vinte anos após a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92). Serão debatidos a contribuição da “economia verde” para o desenvolvimento sustentável e a eliminação da pobreza, com foco sobre a questão da estrutura de governança internacional na área do desenvolvimento sustentável. A Rio+20 insere-se, assim, na longa tradição de reuniões anteriores da ONU sobre o tema, entre as quais as Conferências de 1972 em Estocolmo, Suécia, e de 2002, em Joanesburgo, África do Sul.

Sobre o Comitê Facilitador e Convocatória

O Comitê Facilitador da Sociedade Civil foi criado em 03 de Novembro de 2010 para apoiar o diálogo e articulação entre coletivos, redes, organizações e movimentos sociais brasileiros e de outros países, de tal modo que seja possível gerar iniciativas autônomas da sociedade, por um lado, e monitorar e participar criticamente dos processos nacional e global da Rio+20. Composto por entidades, movimentos sociais, redes e fóruns, consideramos fundamental termos uma articulação que facilite a formação, debate e mobilização e que culmine em um evento plural e autônomo, cuja pauta esteja centrada nos direitos, nas políticas públicas, na justiça social e ambiental, e no fortalecimento de iniciativas e processos e lutas existentes.

A Rio+20 terá três focos temáticos: avaliação de progressos realizados no cumprimento dos compromissos multilaterais em desenvolvimento sustentável; “economia verde” ; e os “arranjos institucionais para o desenvolvimento sustentável”. Prevê-se a realização de eventos associados e paralelos de distintos segmentos da sociedade global, entre eles da comunidade científica, de setores empresariais, de alianças e grupos diversos na defesa de seus respectivos interesses e perspectivas.

Agenda Negra – Rumo a Cúpula dos Povos

Tendo como eixo para nossa intervenção neste espaço o tema sobre desenvolvimento econômico e as lutas anti-racistas, tema, aliás, que iniciamos um debate a partir de nossa participação na Eco Rio 92, deverá ser um momento de aprofundamentos de nossa reflexão e fortalecimento de nossas lutas: para mostrar os desafios para a superação e erradicação da pobreza com relação a população negra no Brasil e nos países da diáspora e na África nos grandes centros urbanos e nas áreas rurais como território de lutas,conflitos e sonhos que está sendo laboratório de grandes intervenções para as Olimpíadas de 2016 e Copa do Mundo 2014.

Por isso; consideramos fundamental termos uma articulação que facilite a formação, debate e mobilização e que culmine em um evento plural e autônomo, cuja pauta esteja centrada nos direitos, nas políticas públicas, na justiça social e ambiental, e no fortalecimento de iniciativas e processos e lutas existentes, com as representações e setores do movimento negro brasileiro, principalmente em relação às comunidades tradicionais onde nós negras e negros estamos:  quilombolas, ribeirinhas,pescadores, urbanas, mulheres negras, religiosos e religiosas da Matriz Africana e Afro-brasileira,  e juventudes negras e em especial com representações e redes da Amazônia.

Iniciando este diálogo, convidamos a todos para uma reunião, ampla e representativa, no dia 2 de Setembro de 2011, no IBASE – Av. Rio Branco, 124 – 8º  andar – Centro – Rio de Janeiro; das 14h00 às 18h00 com os objetivos de:

1. Debater conteúdos e concepções e acordar um compromisso com o marco político geral da nossa iniciativa.  Compartilhar análises sobre desafios (políticos, sociais, etc) associados à transição para sociedades sustentáveis e às oportunidades decorrentes dos processos oficiais (ONU e governos) e da sociedade civil para a Rio+20. Para tal no dia 2 de Setembro iniciaremos às 14 h com uma mesa de debates com a presença do Prof.Dr.Marcelo Paixão da LAESER.

2. Aprimorar a organização e colher subsídios para a construção de uma Agenda do movimento social negro brasileiro para a Rio+20.

Dada a amplitude dos desafios que este contexto nos apresenta consideramos fundamental a sua participação nesse processo relacionado à Rio+20, de modo que logremos construir uma dinâmica com forte identidade política e autonomia.

*A confirmação de sua presença, com o nome da organização e de seu representante, devem ser enviados para o email kikabessen@yahoo.com.br. Como estamos na reta final dos preparativos, peço que envie, se possível, até a tarde do dia 31/08, por gentileza.

Serviço

DATA: 02 DE SETEMBRO DE 2011. (SEXTA-FEIRA)
CIDADE: RIO DE JANEIRO
LOCAL: Auditório do IBASE
PÚBLICO ESTIMADO: 50 organizações e redes.
HORÁRIO: DAS 14H ÀS 18HS–

OBJETIVO: Informar sobre o que é a Conferencia Oficial da Rio + 20, sobre o CFSC (como se organiza etc), sobre o Comitê no RJ, Informe sobre FSTemático POA: reflexão sobre o papel das organizações negras neste processo (reflexão para a articulação e mobilização) e construção de uma agenda coletiva.

PROGRAMAÇÃO:

14h00 – Abertura: 30 minutos
Metodologia: boas vindas, apresentação do CFSC e das organizações negras presentes.

14h30 – Palestra: Marcelo Paixão – LAESER
O verde e o Negro! Justiça Ambiental e a opressão racial no Brasil

15h30 – Construindo uma Agenda Negra com Justiça Ambiental
Sobre a Rio+20 – Passo a Passo CFSC – Via Campesina – Marcelo Durão
A participação dos movimentos sociais negro no Eco Rio 92 – Um breve relato para reflexão – Lucia Xavier (Criola) e/ou Marcos Cardoso (Conen)
Fórum Social Temático/POA – Antonio da Unegro/RS

16h30 – Café da tarde

17h00 – Propostas/Encaminhamentos

18h00 – ENCERRAMENTO

Enviada por Kika Bessen

Doné Kika de Gbessen
CENARAB
Membro do GA pelo Movimento Social Negro
E-mail: kikabessen@yahoo.com.br, cenarab.sp.coord@gmail.com
Tels: (11) 7239-2243, 7462-1524, 8730-1238 e 2516-7765

 

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.