SP – “Exposição apresenta cores e diversidade do Rio São Francisco”

zinclar - pés saltando no barco
Com todo o respeito pela elogiável iniciativa e pelos fotógrafos que dela participam, é necessário corrigir uma omissão. “O fotógrafo do Velho Chico” não pode estar ausente. Então, tomo a liberdade de abrir a matéria com uma de suas imagens que mais gosto: esses pés calejados no ar, apontando, como a proa do barco, para a utopia da imensidão do rio se perdendo no horizonte. João Zinclar, Presente! (Tania Pacheco)

Velho Chico: Olhares Sobre o Rio reúne 58 fotografias que mostram a natureza, cultura, história e a economia nas cidades banhadas pelo rio

por Xandra Stefanel, especial para a RBA

Natureza exuberante, agricultura familiar, transposição, diversão, sustento, história, costumes ribeirinhos e quilombolas. A exposição Velho Chico: Olhares Sobre o Rio, que abre amanhã na Tenda Cultural Ortega y Gasset, na Cidade Universitária, apresenta as várias facetas do Rio São Francisco. A coletiva é composta por 58 imagens feitas por 19 fotógrafos de 1983 a 2013, em cinco estados e várias cidades banhadas pelo rio.

Idealizada pelo fotógrafo e professor de Psicologia da USP, Lineu Kohatsu, a exposição propõe uma reflexão sobre as transformações ocorridas na região, que vão além da polêmica transposição e que envolvem sobretudo discussões sobre os projetos de desenvolvimento e a preservação ambiental. As imagens foram selecionadas a partir do acervo do Projeto Fotobrasilis, uma agência fotográfica criada por Juca Martins que tem como principal proposta a documentação geográfica, cultural, social, ambiental e econômica do Brasil.

“Escolhemos as imagens com o intuito de criar uma história sobre o Rio São Francisco. Eu, o Lineu e o Juca abrimos o Google Earth, fizemos o trajeto do rio – que tem mais de 2.800 quilômetros de extensão – e fomos vendo cada cidadezinha banhada por ele. Nem sempre o rio aparece, mas fizemos conexões para mostrar que aquilo que está na imagem tem a ver com ele. Um exemplo é a irrigação para o plantio de uva, que só é possível por causa de suas águas,” afirma Marcia Minillo, curadora da exposição e integrante do Projeto Fotobrasilis.

Para a curadora, o que mais chama a atenção na exposição é a diversidade que existe nas cidades banhadas pelo Velho Chico. “Muitas vezes a gente nem imagina quanta diversidade tem no entorno do rio: as comunidades quilombolas, a irrigação na agricultura, os ribeirinhos, o pessoal praticando caiaque… São fotos muito coloridas e isso dá um efeito interessante para o olhar”, completa.

Além de imagens de Juca Martins, de Marcia Minillo e de Lineu Kohatsu, Velho Chico: Olhares Sobre o Rio apresenta fotografias de Adriano Gambarini, Alberto Viana, Alexandro Auler, Alf Riberio, Eduardo Lima, Flávio Bacelar, Humberto Pimentel, Ilana Lansky, João Machado, João Roberto Ripper, Odair Oliveira, Olício Pelosi, Rogério Reis, Thaís Falcão, Ubirajara Machado e de Zig Koch. A visita será aberta ao público de 8 a 25 de abril.

Foto de João Roberto Ripper
Foto de João Roberto Ripper
 Foto de Ubirajara Machado
Foto de Ubirajara Machado
Foto de João Machado
Foto de João Machado
Foto de Alberto Viana
Foto de Alberto Viana
Foto de Ilana Lansky
Foto de Ilana Lansky

Velho Chico: Olhares Sobre o Rio
Abertura: segunda-feira, 7 de abril, às 19h
Visitação: de 8 a 25 de abril, das 10h às 19h
Onde: Tenda Cultural Ortega y Gasset – Rua do Anfiteatro, s/n (Praça do Relógio), Cidade Universitária, São Paulo (SP)
Quanto: grátis
Mais informações: (11) 3091-1933/ 3091-1778

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Ruben Siqueira.

Comments (3)

  1. Tania,
    muitíssimo obrigado pela dica do contato via facebook.
    Cheguei a escrever para os organizadores da Mostra Luta, realizada no MIS de Campinas, mas não tive retorno. Espero conseguir o contato agora.
    Novamente obrigado!
    Saudações.
    Lineu K.

  2. Olá, Lineu,
    Ao contrário de você, não tive a oportunidade de conhecer o João Zinclar pessoalmente, mas, até onde sei, seu acervo iria ficar no MIS de Campinas. A Articulação São Francisco Vivo também está de alguma forma ligada a essa questão, já que em outubro passado realizou uma exposição no São Francisco, com mais de 70 fotos dele sobre o Velho Chico.
    No facebook há algumas páginas sobre o trabalho e o acervo (uma tem inclusive esse nome – Acervo João Zinclar) mantidas pela irmã, pela filha dele e por uma turma ligada à Unicamp. Sugiro contato com [email protected], para saber mais detalhes.
    Saudações cordiais para você também e sucesso com a exposição.
    Tania.

  3. Olá, Tania Pacheco. Como um dos organizadores da exposição, concordo com sua observação sobre o trabalho do grande fotógrafo e militante João Zinclar. Infelizmente, com seu falecimento, tivemos dificuldade para entrar em contato com algum responsável pela sua obra. Tive a oportunidade de conhecer João Zinclar há alguns anos e inclusive estive presente no lançamento de seu livro, em Campinas, onde está publicada a foto postada em seu site. Cheguei a conversar com ele sobre a possibilidade de uma exposição com suas fotos na USP, mas infelizmente não conseguimos realizá-la. Caso tenha contato com algum dos responsáveis de seu acervo fotográfico, ficarei agradecido se puder passar o contato. Saudações cordiais. Lineu Kohatsu

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.