Representante da Ordem dos Advogados do Brasil busca apoio para comissão que investiga escravidão

Ideia é criar comissões nas universidades

SEPPIR

O presidente da Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, Humberto Adami, esteve nesta segunda-feira (30/11), no gabinete do secretário especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Ronaldo Barros. A Comissão, criada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em 2014, busca fazer um resgate histórico do contexto em que ocorreu o regime escravocrata no país.

Para Humberto, a Comissão tem o poder de conscientizar os brasileiros. “Muitos são contra as ações afirmativas por não terem conhecimento sobre o período da escravidão negra. O resgate histórico feito pelo trabalho da Comissão auxilia nisso”.

O objetivo da reunião foi buscar uma parceria com o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, através da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) para ampliar os trabalhos da Comissão.

“Nós queremos fomentar a criação de comissões nas universidades, e para isso temos que trabalhar em conjunto com o Ministério da Educação. Acredito que a Seppir vai ajudar nesse diálogo com o MEC”, concluiu.

Ronaldo Barros, professor licenciado da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), disse que a Seppir e todo o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos estão dispostos a colaborar na iniciativa, destacando junto as universidades a importância dos trabalhos da Comissão da Verdade.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.