Pedimos desculpas aos leitores deste blog: felizmente, não é necessário nos preocuparmos com o Quilombo da Marambaia

Tania Pacheco – Combate ao Racismo Ambiental

Ontem, dia 12 de fevereiro, recebi a informação (que mantenho abaixo tal como foi publicada) de que os moradores do Quilombo da Marambaia estariam sendo expulsos de suas casas pela Marinha. A notícia tinha por origem uma pessoa que respeito, Luciene Lacerda, que a recebera, por sua vez, de alguém diretamente ligada ao Quilombo. Avaliando tudo isso e a gravidade da informação, postei a notícia e a lancei igualmente nas redes sociais.

Feito isso, comecei a buscar mais dados, procurando falar com instituições ligadas diretamente à comunidade da Marambaia, como a Mariana Criola e a Koinonia, sem conseguir qualquer resposta. Aliás, ainda agora as ligações para a Mariana Criola são respondidas pela secretária eletrônica da Koinonia informando que estão em recesso até o dia 18.

Paralelamente, além de Luciene Lacerda e de mim, outras pessoas, como Sonia Mariza Martuscelli, de São Paulo, operando via twitter, acionavam seus contatos de formas variadas, preocupadas com o que poderia estar acontecendo durante um feriado prolongado no qual eram poucas as pessoas que, como nós, trabalhávamos em nossas casas, no Rio de Janeiro e em outros estados. Lamentavelmente, nem ontem, nem até o início desta tarde havíamos conseguido qualquer notícia.

Ainda há pouco, entretanto, vi na parte de comentários do Blog uma informação, seguida de uma dica que me levou a outra. A primeira era um comentário escrito às 13:36h: “Em breve estarei postando no Blog da Comunidade Quilombola da Marambaia o fato que realmente ocorreu com relação a este episodio. Atenciosamente, Nilton Alves”. A segunda era, na verdade, a informação que o blog guarda quando alguém copia uma postagem dele. No caso, a cópia havia sido feita pela Mariana Criola, às 14:14h.

Como mais de duas horas já haviam se passado, fui direto ao saite da Marambaia, apenas para descobrir que ele continuava parado no final de dezembro, desejando boas festas etc. Decidi verificar, então, o saite da Mariana Criola, e lá encontrei a seguinte nota, postada hoje e com a data da nossa notícia de ontem errada, inclusive:

Sobre situação dos Quilmbolas [sic] da Marambaia

Contatamos a Associação de Remanescentes de Quilombos da Ilha da Marambaia (ARQIMAR), após tomar conhecimento de nota publicada pelo site Racismo Ambiental no dia 11 [sic] de fevereiro de 2013, que circulou nas redes sociais e de e-mails a informação de que os integrantes da Comunidade Remanescente de Quilombos da Ilha da Marambaia – litoral do Estado do Rio de Janeiro – estariam sendo expulsos de suas casas e que estas seriam posteriormente destruídas pelo Comando Militar local.

A ARQIMAR explicou, na manhã de hoje, que se tratou de uma situação de desentendimento com a Marinha do Brasil, que determina a limitação de visitantes – oito pessoas – por casa. Essa tentativa de controle de aspectos do cotidiano da Comunidade Quilombola gera tensão rotineira na relação entre as Forças Armadas e os Quilombolas na região.

Cabe destacar que a Marinha tenta impor tais regras arbitrárias no Território Quilombola, que é reconhecido pela Fundação Cultural Palmares e está em processo de titulação pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Além disso, as mesmas regras não são observadas com relação aos visitantes de militares na Ilha, que com frequência ultrapassam o numérico por casa estabelecido para os Quilombolas.

Por fim, aguardemos a nota oficial da ARQIMAR, que poderá trazer mais informações sobre o ocorrido.

***

As pessoas que acompanham este Blog com certeza têm ciência da seriedade com que socializamos a informação, que equivale à preocupação e ao respeito com que tratamos os povos tradicionais e as comunidades urbanas envolvidos em conflitos. Por isso mesmo, e pelo respeito que também temos pelas pessoas que nos honram com o seu acompanhamento diário e também com as suas colaborações, lamentamos profundamente que a atitude tomada não tenha sido de nos informar corretamente, de nos corrigir, permitindo que a notícia verdadeira chegasse a [email protected] vocês o mais cedo possível.

Peço desculpas, em particular, às pessoas que se preocuparam e perderam parte do feriado de ontem e da manhã de hoje  buscando ainda se informar.

Na notícia da Mariana Criola, acima, há todos os links para os dois saites: o dela própria e o da ARQIMAR, que continua até este momento, 16:19h, desdejando um feliz 2013 a quem o acessar. No que me diz respeito, me dou por satisfeita, sabendo que estão todos bem e sem qualquer necessidade de atitudes solidárias.

Notícia publicada na tarde de ontem:

RJ – Quilombo da Marambaia, urgente!

Informação enviada por Luciene Lacerda, por volta das 13:30h:

Recebi a informação de que moradores do Quilombo estão sendo retirados pela marinha e suas casas serão destruídas. No dia 22 de fevereiro terá uma audiência publica em Mangaratiba com secretário do Meio Ambiente e demais autoridades.

16:30 – A informação já tem algumas horas, e não se conseguiu mais contato, até agora. Mas o que se sabe é que alguns moradores já haviam sido retirados de suas casas, que seriam em seguida demolidas, e o mesmo estava acontecendo com outros. Não se tem notícia do que aconteceu ou está acontecendo com os moradores; se ficam na Marambaia (onde?) ou se estão sendo movidos para o continente. A única informação que a Marinha teria dado foi de que haveria uma reunião dia 22 com o Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Minc [?!], e outras autoridades.

Comments (10)

  1. Ainda bem que está tudo bem lá no Quilombo. Luciene não se aflija por ter divulgado uma notícia que lhe passaram como verdadeira, isso acontece comigo constantemente e como você eu também peço desculpas e tudo certo. O importante é mantermos essa nossa capacidade de compartilhar e nos mantermos alertas sempre.

  2. Parabéns tanto pelo compromisso em repassar informações e denuncias, como também pelo compromisso em nos manter informados! Com essa nota, o blog ganha ainda mais credibilidade!

  3. Não se sinta culpada, em absoluto, Luciene Lacerda. Você, como eu, recebeu uma informação que considerou confiável e buscou a melhor forma de ser solidária. Acho isso elogiável e não me importo em absoluto de ter sido levada a um equívoco por alguém que estava verdadeiramente se importando em ajudar.
    Sinto pelas pessoas que também foram solidárias e pararam suas vidas, de uma forma ou de outra, para buscar também formas de apoiar quem pensávamos estar necessitando e querendo isso. Por outro lado, sei que cada uma delas, como eu (e você, espero!) vai dormir tranquilamente, sabendo que fez o que achava certo. E isso é o fundamental. No mais, o Quilombo São José da Serra está em festa! Fiquemos felizes junto com eles!

  4. Vale o esclarecimento via Combate Racismo Ambiental; pois a preocupação com nossos quilombolas fez com que eu, Luciene Lacerda, por exemplo, assumisse um alerta da situação neste face e em e-mail’s. Felizmente, parece, que desta vez, não era necessário. Eu peço desculpas pelo movimento de alerta. Recebi uma informação de uma compa e, assustada, resolvi repassá-lo.

  5. Tânia,
    Bem compreensível sua indignação e que o seu desabafo público sirva para nos alertar a [email protected] para a importância e necessidade de respeitarmos e colaborarmos com o trabalho, a dedicação, o empenho, o esforço e a solidariedade que caracterizam o blog e você pessoalmente no seu cotidiano de acompanhamento e de apoio às pessoas, grupos e comunidades em conflito.
    receba nosso abraço,

  6. Agradeço imensamente este teu comentário, Rafael. Há momento em que a gente precisa muito de um abraço amigo. Valeu como se fosse.

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.