DF – Cracolândia no centro do Plano Piloto funciona em plena luz do dia

Nosso veemente protesto contra o uso da palavra “ratos”, no final da matéria, para se referir aos adictos, que devem, sim, ser cuidados pelo governo e tratados como doentes que são. TP.

Em pleno Setor Comercial Sul, cercado de prédios de escritórios, bancos e até da própria polícia, dezenas de usuários se drogam no chamado Buraco do Rato, a cracolândia mais antiga do DF. Ignorados pelo poder público, eles compram e vendem as pedras à luz do dia

Saulo Araújo /Renato Alves

Sob a mais movimentada área do Plano Piloto, há um mundo desconhecido da maioria dos brasilienses. Um submundo. Um espaço democrático, mas deprimente, dividido por meninos de rua, vendedores ambulantes, gente esfarrapada, cidadãos de classe média, de classe média alta, homens engravatados, mulheres grávidas com carrinhos de bebê importados. Todos unidos por uma pedra, o crack. A droga de alto poder destrutivo é vendida e consumida como em uma feira livre no estacionamento subterrâneo da Quadra 5 do Setor Comercial (SCS). Comércio criminoso aberto 24 horas por dia, embaixo de um posto da Polícia Militar, centenas de escritórios, dezenas de lojas e agências bancárias, ao lado do maior hospital de Brasília, a menos de 1km da Esplanada dos Ministérios.

O vaivém dos usuários, as roupas sujas e os cabelos desgrenhados de muitos deles deram o apelido de Buraco do Rato à garagem subterrânea de um dos pontos mais movimentados do setor. Os viciados e traficantes começaram a ocupar o subsolo há quatro anos. Formaram a primeira cracolândia do Plano Piloto. Em 2008, o Correio denunciou e o governo, à época, anunciou uma série de medidas enérgicas, como expulsar e prender quem fosse flagrado cometendo crime, encher o espaço de policiais, iluminar e, se necessário, até fechar o Buraco do Rato. Tudo ficou na promessa, e a quantidade de “ratos” só aumentou. Agora, eles são de todas as espécies e nem esperam mais a escuridão da noite e a queda no movimento para manter o vício. Há quem desça para comprar e fumar a pedra no horário de almoço.

Enviada por José Carlos.

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2012/07/10/interna_cidadesdf,311334/cracolandia-no-centro-do-plano-piloto-funciona-em-plena-luz-do-dia.shtml#.T_x9vsl7yfo.gmail

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.