GCM de Santos agride morador de rua e prende pai de aluno que questionou a agressão

Da LSR

As imagens mostram os momentos finais da prisão de um pai de aluno nesta segunda-feira, 14/09/2015, que questionou uma agressão a um morador de rua em frente à UME Maria Helena Roxo, na região do mercado municipal em Santos.

A GCM (na viatura PGK8101), no horário de entrada dos alunos, que têm entre 3 e 6 anos, agrediu um morador de rua que descansava na calçada. O pai de uma das crianças questionou a “ação” e lembrou o guarda que aquele era um sujeito com direitos. Isso bastou para que cinco guardas municipais partissem para cima dele, o imobilizassem e o levassem preso. Foi feito uso de spray de pimenta, o que fez alguns alunos passarem mal. Tudo isso na frente de seu filho, que ficou na escola e sob os apelos da equipe da escola e outros pais e mães para que os guardas parassem com a agressão.

A região do mercado é uma área com grande concentração da população em situação de rua, entre outras coisas, pela presença de uma unidade do Bom Prato (restaurante popular). Não é a primeira vez que essa população é agredida pelo simples fato de estar ali.

Quanto ao pai do aluno, um senhor trabalhador, que defendia alguém de uma opressão, é mais um de nossa classe violentado pelo Estado.

É mais do que necessária a nossa organização. Diante do aprofundamento da cris, tende a ser aumentada a repressão do Estado, uma vez que passa a ser mais difícil posar de bom moço para a população.

Nós da LSR – Liberdade, Socialismo e Revolução, chamamos a todos os coletivos, movimentos sociais, partidos de esquerda a reverberarem mais este crime do Estado e organizarmos a resistência junto à população pobre e trabalhadora e a luta por gestão dos trabalhadores da Guarda Civil Metropolitana!

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Diogo Rocha.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.