moradores piquia comemorando

Quem semeia com lágrimas, recolhe com alegria

Por Padre Dário, em seu Blog

Foi um ano de lágrimas e sementes, para a comunidade de Piquiá de Baixo.

Muitos já conhecem a luta orgulhosa, resistente e firme dessa comunidade, no município de Açailândia-MA. Sofrendo há quase trinta anos os efeitos devastadores da poluição do ciclo de mineração e siderurgia em sua região, os moradores começaram de forma mais organizada a denunciar o descaso do Estado e as responsabilidades das empresas, reivindicando -para começar- o reassentamento coletivo numa área livre de poluição. (mais…)

Ler Mais

luto

Para Vítor. Com muita dor

Tania Pacheco – Combate Racismo Ambiental

Não saberemos jamais quem você seria se tivesse a chance de crescer, menino Kaingang, nesse Sul onde infelizmente não são poucos os que te querem e aos teus fora do mapa. Dos mapas. Uma liderança indígena lutando pelos direitos do seu povo? Um alcoólatra dando motivo às críticas de sempre? Um doutorando recebendo elogios? Ou uma nota registrando, em uma década, mais um adolescente indígena suicidado pela nossa sociedade?

Este 2015 se fecha dentro de mim com um vasto sentimento de repugnância, mais forte até que o de indignação e revolta. No filmezinho que passa na minha cabeça, encerrado pela tua morte sem rosto, há muitos e muitos outros se entrechocando. E, infelizmente, estão longe de serem boas imagens. (mais…)

Ler Mais

Cimi-40anos-300x184

Vítor, um menino Kaingang de apenas dois anos, é assassinado enquanto era amamentado pela mãe

Nota do Cimi Regional Sul

O Conselho Indigenista Missionário, Regional Sul, vem a público manifestar sua indignação com o cruel assassinato de Vítor Pinto, criança Kaingang de dois anos de idade. O crime ocorreu na rodoviária de Imbituba, município de Santa Catarina.

Vitor estava sendo amamentado pela mãe, Sônia da Silva, quando um homem se aproximou, acariciou seu rosto e, com um estilete, o degolou. Enquanto a mãe e o pai – Arcelino Pinto – desesperados tentavam socorrer a criança, o assassino seguiu caminhando pela rodoviária até desaparecer. (mais…)

Ler Mais

Pertences do garoto permaneciam no local do crime no início da tarde (Foto: Gabriel Felipe/RBS TV)

Seletividade pouca é bobagem [menino indígena assassinado não sai no jornal]

Por Daniela Felix*, em Combate Racismo Ambiental

Desde domingo passado, dia 27/12, nossos veículos midiáticos estaduais foram tomados por forte comoção, em razão da triste morte de um ciclista, jornalista notório e empresário de sucesso, vítima de atropelamento na SC 401.

A cerimônia de despedida foi marcada pela presença das ilustres classes política, econômica e de comunicação do Estado. (mais…)

Ler Mais

PMs atiram bombas de gás contra mulheres e crianças sem-teto (16/11/14). Foto: Caio Palazzo /Ponte Jornalismo

Informação Encarcerada: A Blindagem de Dados na Segurança Pública de São Paulo (para baixar)

Confira o estudo “Informação Encarcerada: A Blindagem de Dados na Segurança Pública de São Paulo”, feita pela Ponte em parceria com a Artigo 19

Por Fausto Salvadori Filho , na Ponte

Pelo crime de tentar pichar um prédio, um grupo de policias militares mata dois jovens desarmados.

Após uma bala de borracha disparada por um PM arrancar 80% da sua visão, um fotógrafo entra na Justiça e vê três desembargadores concluírem que a culpa pelo tiro foi toda sua.

Na reintegração de posse de um edifício, policiais disparam gás lacrimogêneo contra crianças e grávidas e destroem a cadeira de rodas de uma mulher. (mais…)

Ler Mais

virginia fontes

2015, o ano que não terminou: uma conversa com Virgínia Fontes

“Quem imaginou que chegar ao capitalismo e chegar à democracia seria garantia de uma vida sossegada: bem-vindo ao mundo real! O mundo real no capitalismo é isso, tensão o tempo todo, crise o tempo todo – isso quando não tem guerra…”

Por Rejane Carolina Hoeveler, em Blog Junho

No último dia 29 de dezembro de 2015, entrevistamos a professora e pesquisadora Virgínia Fontes em sua casa, no Rio de Janeiro. Ela falou sobre o balanço de 2015 e as perspectivas para as lutas sociais em 2016, entre outros temas. Confira a entrevista na íntegra. (mais…)

Ler Mais

Pertences do garoto permaneciam no local do crime no início da tarde (Foto: Gabriel Felipe/RBS TV)

Menino indígena de 2 anos é morto em frente a rodoviária no Sul de SC

Atualização: as notícias mais recentes – do final da noite de ontem e desta madrugada de 31/12 – dizem que o rapaz preso era inocente e foi liberado (parece que após ser autuado por posse de pequena quantidade de droga). A mãe continuava em estado de choque e ainda sem condições de prestar depoimento. A família – Kaingang – estava mesmo em Ibituba para vender artesanato. A Funai já está atuando, e vai levar o corpo da criança (Vítor) e seus pais de volta a Chapecó. (Tania Pacheco)

*

Criança estaria ao lado da mãe quando desconhecido atacou. Suspeito do crime, jovem foi preso às margens da BR-101, em Imbituba.

Do G1 SC

Uma criança indígena foi assassinada por volta das 12h desta quarta-feira (30) em Imbituba, na região Sul de Santa Catarina. Segundo a Polícia Militar, o garoto de dois anos estava com a mãe em frente à rodoviária da cidade quando um homem se aproximou e cortou o pescoço do menino com uma faca. Ele morreu na hora.

(mais…)

Ler Mais

Imagem encontrada na internet

100 Cidades Africanas destruídas pelos Europeus, por Mawuna Koutonin

Porque existem poucos edifícios históricos e monumentos na África subsaariana!?

Parte 1

O motivo é simples. Os europeus destruíram a maior parte. Só nos restam os desenhos e descrições de viajantes que visitaram os lugares antes das destruições. Em alguns lugares, ainda se podem ver ruínas. Muitas cidades foram abandonadas e viraram ruína quando os europeus trouxeram doenças exóticas (varíola e gripe) que começaram a se espalhar e matar gente. As ruínas dessas cidades ainda se encontram escondidas. De fato, a maior parte da história de África está ainda soterrada.

Neste artigo, vou compartilhar fragmentos de informação sobre África antes da chegada dos Europeus, as cidades destruídas e as lições que podemos aprender, enquanto africanos, para o futuro. (mais…)

Ler Mais