Série em vídeo – É proibido falar em Angola

A Pública

Lançamos a primeira parte da série de vídeos É proibido falar em Angola, feita pela repórter e co-diretora da Pública, Natalia Viana, e pela documentarista Eliza Capai. O vídeo pode ser assistido abaixo.

A segunda parte vai ao ar hoje e a terceira, amanhã, sexta-feira. Sempre às 20h.

Em agosto, Natalia e Eliza passaram 25 dias em Angola para investigar a presença de empresas brasileiras no país. Elas se depararam com a situação dos 17 ativistas acusados pelo governo de tramar um golpe de estado, cujo julgamento teve início nesta semana. Conversando com os ativistas e seus familiares, sentiram na pele e registraram em vídeo a repressão do governo angolano, o que deu resultado a este “thriller jornalístico”.

* * *

O vídeo abaixo é uma contribuição deste Blog, Combate Racismo Ambiental, com a interpretação de Dulce Pontes e Waldemar Bastos:

Velha Chica

Antigamente a velha chica
vendia cola e gengibre
e lá pela tarde ela lavava a roupa
do patrão importante;
e nós os miúdos lá da escola
perguntávamos à vóvó Chica
qual era a razão daquela pobreza,
daquele nosso sofrimento.
Xé menino, não fala política,
não fala política, não fala política.

Mas a velha Chica embrulhada nos pensamentos,
ela sabia, mas não dizia a razão daquele sofrimento.
Xé menino, não fala política,
não fala política, não fala política.

E o tempo passou e a velha Chica, só mais velha ficou.
Ela somente fez uma kubata com teto de zinco, com teto de zinco.
Xé menino, não fala política, não fala política.

Mas quem vê agora
o rosto daquela senhora, daquela senhora,
só vê as rugas do sofrimento, do sofrimento, do sofrimento!
E ela agora só diz:
“- Xé menino, quando eu morrer, quero ver Angola viver em paz!
Xé menino, quando morrer, quero ver Angola e o Mundo em paz!”

Composição: Waldemar Bastos

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.