Regional Sul 4 da CNBB se solidariza ao Cimi diante da CPI

CIMI

Em nota assinada pelo bispo Dom João Francisco Salm, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Regional Sul 4, os participantes da Assembleia de Pastoral desse regional, reunidos em Lages (SC), nos dias 18 e 19 de setembro manifestam preocupação com a violência praticada contra os povos indígenas do Mato Grosso do Sul. Leia a nota da CNBB, Regional Sul4 aqui.

No mesmo documento, eles expressam solidariedade ao Conselho Indigenista Missionário (Cimi) diante da aprovação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) proposta pela bancada ruralista da Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul contra o Cimi.

“Como ficar indiferente diante do fato de que nos últimos 12 anos ao menos 585 indígenas cometeram suicídio e outros 390 foram assassinados nessa mesma região?… A solução para tão grave problema social está na criação de uma CPI para investigar a ação missionária do Cimi que se coloca do lado desses povos sofridos? Por que é tão lenta a ação do governo em regularizar as terras indígenas e de indenizar os ocupantes de boa-fé?”, questionam na nota.

Como contraposição a esta CPI contra o Cimi, organizações e movimentos indígenas e movimentos populares do campo e da cidade lançaram no dia 24 de setembro, no Mato Grosso do Sul, a campanha “Eu Quero CPI do Genocídio!”, que pretende mobilizar a sociedade sul-mato-grossense e nacional, além de organismos internacionais de direitos humanas contra o genocídio orquestrado de indígenas nesse estado, a paralisação das demarcações das terras tradicionais e a criminalização dos movimentos sociais no estado.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.