“Nota de LUTO de Aty Guasu do povo Guarani e Kaiowá”

Aty Guasu

“É com profunda tristeza e pesar, mais uma vez comunicamos a todas as sociedades nacionais e internacionais os assassinatos de três crianças indígenas Guarani e Kaiowa pelos fazendeiros, um bebê recém-nascido e três crianças foram incendiadas, e os cadáveres ocultados pelos fazendeiros no Mato Grosso Sul. Nós povos Guarani e Kaiowá estamos chorando em LUTO. No dia 24 de junho de 2015, os fazendeiros incendiaram um bebê e 3 as crianças indígenas. Os fazendeiros já assassinaram dezenas de indígenas Guarani e Kaiowa. Desde 2000, os fazendeiros assassinaram os indígenas e passaram ocultar os cadáveres dos indígenas.

No dia 5 de dezembro de 2007, rezadora idosa, 70 anos, Xurite Lopes, avó da menina incendiada, foi assassinada a tiro queima roupa no tekoha Kurusu Amba, pelos fazendeiros. Esses mesmos fazendeiros da fazenda Madama, em 2007, já assassinaram a avó das crianças, em junho 2015 assassinaram as netinhas da Xurite Lopes. Os assassinos não são julgados pela justiça do Brasil.

É importante as sociedades compreender que no último 30 anos, é bem comum os fazendeiros antes de atacar e assassinar os indígenas se reunir com os políticos, agentes policiais locais e pistoleiros, planejaram em conjuntos o massacre e ataque genocida aos indígenas, agindo todos os juntos, os pistoleiros, fazendeiros, políticos, alguns agentes policiais estaduais e jornalista dos fazendeiros, assim é tudo organizado para cometer o ataque terrorista aos indígenas.

Uma vez que esse grupo organizado de extermínio dos povos indígenas não foram punidos pela justiça do Brasil, são livres de punição da justiça do Brasil, no dia 24 de junho, começaram a filmar e mostrar publicamente na mídia e na TV Globo local dos fazendeiros, assista: http://g1.globo.com/…/indigenas-e-fazendeiros-entr…/4277193/ exibindo como os fazendeiros assassinos agiam e agem, atacam e assassinam os indígenas Guarani e Kaiowa.

Os fazendeiros e seus pistoleiros utilizam táticas militar dos exércitos, na mídia eles exibem, enquanto os pistoleiros atacam os indígenas, e queimam as vidas das crianças, um grupo de polícias fica na entrada, jornalistas da TV GLOBO MS filma. Como fossem as ações de filmes fictícios de faroeste, mas é real, estavam atacando e trucidando as vidas das crianças, mulheres e idosos Guarani e Kaiowa. Os fazendeiros e seus grupos criminosos violentos sempre agiram assim e continuam agindo. Hoje os próprios fazendeiros mostram a todas as sociedades como atacaram e atacam os indígenas no MS. Os trechos dessas ações dos fazendeiros, os ataques terroristas ao povo Guarani e Kaiowa foram filmadas ao vivo e publicada na TV GLOBO MS, demonstrando as ações e táticas de atacar aos indígenas.

Desde 2000, esses fazendeiros sempre atacaram de modos iguais a de ontem 24/06/2014, de caminhonetes atropelando os índios, fortemente armados atirando nos indígenas e queimando tudo, assassinam indígenas sem piedade. Nessa situação em que resistem e sobrevivem os povos indígenas Guarani, Kaiowa, Terena no Mato Grosso do Sul. É a justiça do Brasil e governo federal não punem e nem investigam esses grupos terroristas e criminosos, que agem sempre com as ações de genocídio e violências contras as vidas indígenas no MS.

De modo igual. No dia 29 de outubro de 2009, no tekoha Ypo’i, 60 as crianças, 20 idosos, 40 adultos foram atacadas a tiros e massacradas pelos fazendeiros. Os dois professores Genivaldo Vera e Rolindo Vera foram assassinados e cadáveres ocultados pelos fazendeiros. De forma simila, com mesma tática dos pistoleiros dos fazendeiros, no dia 18 de novembro de 2011, o cacique Nisio Gomes foi assassinado e cadáver ocultado pelos mesmos fazendeiros. Ontem, dia 24/06/2015, os fazendeiros e seus pistoleiros impunes pela justiça do Brasil filmaram suas ações criminosas e mostraram na sua mídia. Enquanto jornalista da TV GLOBO MS filma, escoltados pelos policiais do Estado, as crianças indígenas estavam sendo queimados pelos afzendeiros. Assim esses mesmos fazendeiros e seus grupos atacaram e assassinaram os Guarani e Kaiowá: Samuel Martins, Marco Veron, Dorival Benites, Dorvalino Rocha, Rolindo Vera, Genivaldo Vera, Xurite Lopes, Nisio Gome…, 3 crianças… seguem a lista.

Aty Guasu insiste em pedir a justiça de verdade, Aty Guasu continua lutando contra o genocídio financiado pelos fazendeiros e políticos anti-indígenas.

Anexamos algumas fotos da divulgação para ver, rever e compreender as ações dos fazendeiros contra os povos indígenas no Mato Grosso do Sul.

Tekoha Guasu Guarani e Kaiowa, 24 de junho de 2015

Lideranças de grande povos Guarani e Kaiowa”.

xurite lopes - rezadeira morta

criancas demarcacao guarani kaiowa

Fotos divulgadas por Aty Guasu.

Comments (4)

  1. Meu Deus, isso é tão triste. Queria tanto ajudar de alguma forma. Como é que podem cometer essa atrocidade?!? Monstruosidade!

  2. Ianai xe irum Kwere
    Não é possível isso continuar, aonde esta a justiça em nosso pais. que vergonha que essa barbárie ainda continua acontecendo no Brasil. Que pais é esse?
    Atã ñane karugua regua xeretarankwere!!

  3. temos que começar a publicar a lista dos nomes dos fazendeiros e suas famílias e dos delegados. Temos que motivar @s [email protected] formandos para fazerem grupos e mover ações judiciais contra os criminosos. Ao mesmo tempo visitas de grupos de antropó[email protected], ativistas, organizações, acadê[email protected] etc… para que possam se encontrar nas comunidades das matrizes dos primeiros povos do Brasil. Para criar visibilidade fundamentar as ações contra.

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.