Pelo direito à dignidade, à cultura e à terra Guarani-Kaiowá

Pai enterrando os dois filhos mortos, em Dourados, Mato Grosso do Sul. Foto atribuída a Grima Grimaldi.

Por Sim! Direito à dignidade, à cultura e à terra Guarani-Kaiowá

A foto não é bonita e nem poética. Mas é atual. Dura como a realidade vivenciada agora, neste minuto, pelos Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul.

Mais do que nunca devem ser exigidos os direitos desses povos. Mais do que nunca devem ser feitas reivindicações para assegurar que a Constituição e a legalidade pautem essas relações. Mais do que nunca, devemos nos posicionar junto ao que é humano e justo, ao que nos diferencia desses assassinos travestidos de gente. 
Por isso:

sejamos gente! Entre em contato com o Ministério Público Federal através do telefone:(61)3105-5100 ou envie um e-mail para: [email protected]
Compartilhe! Exija! Faça com que quem não tem voz, posso ter o direito à Vida!

De acordo com artigo de Pedro Alves, as seguintes declarações estão sendo feitas: “‘Se o Governo quer guerra, vai ter guerra. Se eles podem invadir, então nós também podemos invadir. Não podemos ter medo de índio não. Nós vamos partir pra guerra, e vai ser na semana que vem. Esses índios aí, alguns perigam sobrar. O que não sobrar, nós vamos dar para os porcos comerem’”. Este foi o depoimento do fazendeiro Luis Carlos da Silva Vieira, proprietário de terras próximo à fazenda Campina, no município de Paranhos, estado do Mato Grosso do Sul. Lenço Preto, como também é conhecido, declarou, no último dia 18, para o site de notícias midiamax.com que o ataque armado contra os povos indígenas Guarani e Kaiowá terá inicio nesta semana, 20″.

Comments (1)

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.