O povo de terreiro de Juazeiro, BA, foi as ruas da cidade festejar o dia de Oxum. Foto de Ponto Crítico

Livro “Candomblé e umbanda no Sertão: cartografia social dos terreiros de Petrolina/PE e Juazeiro/BA” está disponível na internet

O livro fala sobre a vida de diferentes babalorixás e yalorixás da região do Vale do São Francisco, pode ser encontrado na internet e está disponível para download.

No Ponto Crítico

O livro “Candomblé e umbanda no Sertão: cartografia social dos terreiros de Petrolina/PE e Juazeiro/BA”, está disponível na internet, para download (baixe aqui). A Obra narra a vida de diferentes babalorixás e yalorixás da região, e foi lançada no dia 08 deste mês, data em que se reverencia Oxum, orixá das águas doces, e que foi instituída como o Dia Municipal dos Povos de Terreiro, nas duas cidades ribeirinhas.

Em Petrolina e Juazeiro, segundo um mapeamento da Associação Espírita e de Culto Afro Brasileira, há mais de 400 terreiros de candomblé e umbanda. Desse número, mais de 30 foram cartografados pelo livro, que é o resultado de dois anos de pesquisa realizada pelo professor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Dr. Juracy Marques, pelo médico Joaquim Novaes e por outros pesquisadores.

Para Marques, que vem desenvolvendo esse tipo de pesquisa, no Semiárido, há quase uma década, os terreiros são testemunhos da diáspora africana vivida por negros que foram trazidos para o Brasil. “São religiões afro-brasileiras. Ficamos surpresos com a quantidade de casas, terreiros e centros que cultuam suas ancestralidades, quer sejam orixás, pretos velhos ou mesmo entidades ligadas à matriz indígena, além de outros encantos”, revela.

Ainda de acordo com o professor, ao longo da pesquisa, foram presenciadas diversas práticas de racismo, discriminação e intolerância religiosa, nos dois municípios. “Espero que o livro contribua para que as pessoas possam conhecer melhor essas religiões, por conseguinte, atuando para o fim da intolerância e de diversas outras formas de preconceitos relacionados à identidade negra”, finaliza.

Destaque: O povo de terreiro de Juazeiro, BA, foi as ruas da cidade festejar o dia de Oxum. Foto de Ponto Crítico.

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Ruben Siqueira.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.