Jagunços da Usina Nova União agridem e ameaçam famílias acampadas em Serrana

Homens armados com silenciadores bateram em dois acampados e disseram às famílias que botarão fogo nos barracos caso não desistam da Fazenda Martinópolis

Da Página do MST

Três Sem Terra do Acampamento Alexandra Kolontai, no município de Serrana (SP), foram agredidos e ameaçados por oito homens da Usina Nova União, no último dia 28 de novembro. Os agressores portavam arma de fogo com silenciadores. 

De acordo com os relatos das famílias, em caminhonetes, os homens da Usina fizeram ameaças verbais e ofenderam os integrantes do MST. Ao descerem do veículo, os trabalhadores rurais foram agredidos fisicamente com tapas na cabeça e socos na costela.

Os Sem Terra ainda denunciam que não bastasse a ação violenta, os jagunços ainda ameaçaram os acampados de morte e prometeram colocar fogo em todo o acampamento caso as famílias não desistissem da Fazenda Martinópolis, local do acampamento.

Fazenda Martinópolis

Desde 2008, o Acampamento Alexandra Kolontai reivindica a Fazenda Martinópolis, entre o município de Serrana e Serra Azul, na região de Ribeirão Preto.

A fazenda possui uma dívida de cerca de R$ 300 milhões em ICMS com o governo do Estado de São Paulo, além de dividas com a União e descumprimentos de leis trabalhistas e ambientais.

A partir da luta das famílias acampadas, o processo de execução fiscal e a adjudicação da área pelo governo do estado para a realização do Assentamento estão avançados. Para a direção regional do MST de Ribeirão Preto, como a Usina não tem mais nenhum recurso lícito em mãos, recorrem, agora, à violência.

“A truculência para com os Sem Terra, típicas da elite agrária brasileira, demonstra o medo dos usineiros perante a organização das famílias e a luta dos trabalhadores e trabalhadoras. Mas em resposta, lhes damos a continuação da luta e a certeza da vitória dos Sem Terra e do acampamento Alexandra Kollontai”, disse em nota a direção.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.