Por que a Amazônia Legal maranhense está reduzida a menos de vinte por cento? Ótima matéria da TV Brasil

Combate Racismo Ambiental

Em pouco mais de 4 minutos, a TV Brasil aproveitou a realização do seminário Amazônia Maranhense para ouvir pesquisadores brasileiros e estrangeiros e, a partir de suas denúncias, mostrar o que está acontecendo nas terras indígenas e reservas biológicas do estado. Na reportagem, são mostrados as diferentes consequências da ação das madeireiras, da devastação causada pelo desmatamento e pelos incêndios criminosos às ameaças e aos assassinatos de lideranças.

De acordo com depoimento de István Varga, este é um ano em que “a guerra com a grande rede de madeireiras ilegais que atua de maneira inteligente e concomitante no Maranhão, Pará e Tocantins, chega a um momento crítico”. Para fazer face a esse estado de coisa, ele considera fundamental que se repense o papel da Secretaria de Meio Ambiente.

A pesquisadora Marilúcia Bonifácio é direta, quando a repórter pergunta onde estão, afinal, esses menos de 20% de Amazônia, no estado:  “Na Rebio do Gurupi, na Terra Indígena Arariboia, na Terra Indígena Awá, na Terra Indígena Caru, na Terra Indígena Alto Turiaçu. E só!” A indignação está mais que clara.

Já a analista ambiental Eloísa Mendonça vê uma relação direta entre o roubo de madeiras da floresta amazônica maranhense e a presença de serrarias no entorno das terras indígenas e da Reserva Biológica do Gurupi: “Elas madeira é legalmente licenciada pela SEMA, ela obtém esse crédito do plano de manejo, mas a madeira na verdade está vindo das terras protegidas (…). Os planos de manejo infelizmente servem para esquentar a madeira roubada”.

Da Aldeia Maçarandi, Marcilene Guajajara diz que a estratégia que os indígenas vêm utilizando, buscando monitorar a entrada dos madeireiros, é decorrência da inação do estado: “A gente sabe que isso não é papel do indígena; a gente sabe que é do estado.  Mas como a gente sabe que não há apoio do estado, a gente mesmo toma a iniciativa própria”.

A matéria apresenta também um pesquisador francês que desistiu de seu estudo na Reserva do Gurupi devido à insegurança no local – “A Polícia Federal com armamento de guerra dentro da floresta é uma situação que pra quem é brasileiro talvez não estranha tanto, mas qualquer pessoa de fora, de outro país…”. E muito mais.

Vale realmente assistir a mais este belo trabalho da TV Brasil!

 

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.