Elaine Tavares: Os bilionários da mídia brasileira + A comunicação comunitária

O Brasil possui oito empresários de comunicação na nova lista da revista Forbes; entre os setores, mídia está na 8º posição em um ranking liderado pela indústria.

Em Ideias Insurgentes

Saiu na revista Forbes que o setor de mídia brasileiro é o 8º mais representativo em um ranking de 13 setores liderado por indústria, bancos e alimentos. No topo da lista envolvendo os ricos do Brasil está o empresário Jorge Paulo Lemann, um dos sócios da AB InBev, com uma fortuna estimada em R$ 83,7 bilhões.

No setor de comunicação são oito empresários de quatro companhias distintas. Na 5º posição geral está a família Marinho, das Organizações Globo, representada por João Roberto Marinho, José Roberto Marinho e Roberto Irineu Marinho que, individualmente, possuem R$ 23,8 bilhões.

Da família Marinho para o próximo da lista a diferença é considerável: Edir Macedo, da Record, está na 74º posição com patrimônio de R$ 3,02 bilhões seguido pela família Civita, do Grupo Abril, e de Sílvio Santos, do SBT.
No mundo, o empresário mais rico do segmento de mídia é o americano Michael Bloomberg dono de uma fortuna estimada em US$ 35,5 bilhões e na 14º posição geral.

Veja os representantes da mídia entre os bilionários brasileiros:

1º lugar
João Roberto Marinho
Patrimônio: R$ 23,80 bilhões
José Roberto Marinho
Patrimônio: R$ 23,80 bilhões
Roberto Irineu Marinho
Patrimônio: R$ 23,80 bilhões
Empresa: Organizações Globo
5º posição no ranking geral do Brasil

2º Edir Macedo
Patrimônio: R$ 3,02 bilhões
Empresa: Rede Record
74º posição no ranking geral do Brasil

3º Giancarlo Civita
Patrimônio: R$ 2,18 bilhões

Roberta Anamaria Civita
Patrimônio: R$ 2,18 bilhões

Victor Civita Neto
Patrimônio: R$ 2,18 bilhões
Empresa: Grupo Abril
88º posição no ranking geral do Brasil

4º Silvio Santos
Patrimônio: R$ 2,01 bilhões
Empresa: SBT
100º posição no ranking geral do Brasil

* * *

jornal comunitario

A comunicação comunitária

Diante de tanta força dos meios de comunicação comerciais não é coisa fácil fazer um trabalho popular e comunitário. Não há recursos, não há gente, tudo é uma grande batalha. Mas, ainda assim, nesse nosso estado de Santa Catarina temos muitos companheiros que resistem e insistem.

Um desses grupos é o que reúne a gurizada das pastorais da juventude do meio popular e rural em São Miguel do Oeste. Contra todas as perspectivas eles colocam na rua um jornal: o Comunitário. Um experiência bonita, que traz a vida das cidades, as lutas dos movimentos sociais, os temas complicados, esses sobre os quais ninguém quer falar.

Produzido pela Comunidade de Jovens do Oeste, o jornal mostra as experiências de beleza que brotam na região, faz a crítica ao mundo capitalista e anuncia a possibilidade de um mundo diferente, solidário, amoroso e cooperativo.

O Comunitário nos toca como uma brisa fresca, uma delicada ação de amor. A gente vai lendo e pensando que ainda vale a pena acreditar na força do jornalismo, da comunicação popular. Um trabalho que se faz com o esforço de pessoas como Claudia Weinman, Pedro Pinheiro, Jô Pinheiro, Jean Carlos Carlesso, Wesley de Souza Padilha, Claudia Baumgardt, Julia Saggiorato, Eliezer Oliveira e tantos outros que se revezam a cada edição.

Parabéns a essa juventude do Oeste, que faz as coisas acontecerem, que não têm medo, que resiste e incendeia em nós uma inquebrantável esperança.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.