Carta de Nair Ávila, Mãe do Advogado Manoel Mattos*

Manoel Mattos
Manoel Mattos

As lágrimas de hoje servirão de combustível para vitórias futuras.

A luta do meu filho Manoel Mattos pelo fim da impunidade na divisa dos Estados da Paraíba e de Pernambuco (Fronteira do Medo) nunca será esquecida. Conhecido como MM, o advogado, político, pai e amigo foi um exemplo na conquista pela cidadania sendo motivado pelo desejo de mudar a vida do povo daquela região.

 Apoiado pelos familiares buscou no Direito e na Política as formas para enfrentar as situações de injustiças fazendo da sua profissão uma luta diária contra os poderosos, atuando na defesa  de trabalhadores rurais desempregados e pessoas menos favorecidas.

 MM fez de sua casa um local onde atendia as pessoas que iam relatar sobre as situações desmandos nas contas públicas e também dos crimes sem solução, com tantos relatos e através dos dados levantados pela Dra. Rosemary (Promotora de Itambé), aceitou enfrentar o crime organizado (tráfico de drogas, tráfico de armas e grupos de extermínio).

MM transformou sua vida em uma batalha contra o latifúndio e a falta de acesso à justiça, passou cada vez  mais a incomodar o poder. MM conhecedor dos perigos das suas escolhas não voltou atrás e por volta de 1999/2000 quando as primeiras ameaças surgiram não fugiu; ele dizia que não poderia volta mais atrás.

Meu filho sabia que sua vida corria risco e a de seus familiares, amigos e clientes também. Percebeu  que sozinho não poderia ganhar todas as batalhas e através dos seus contatos resolveu procurar parceiros na Paraíba, Pernambuco e em todo Brasil.

MM com sua coragem e determinação levou ao conhecimento do Brasil (do mundo) as situações que amedrontavam as pessoas; realizou contatos com políticos, promotores, procuradores, juízes, delegados, ongs e com todos que poderiam apoiá-lo; foi processado, caluniado e difamado por seus inimigos; não desistiu e foi executado friamente no dia 24 de agosto de 2009.

Sei que meu filho representa hoje para o Brasil e para a comunidade da região a luta de um advogado que não deixou de acreditar em mudança; mesmo que ainda hoje centenas de famílias não saibam sequer a autoria dos crimes contra seus entes queridos, acreditam que o julgamento do caso de MM é uma vitória de todos.

MM hoje representa, através da minha luta e dos parceiros, a própria ideia de “federalização” dos crimes contra os direitos humanos, e no caso dele também estão juntos as Mães de Maio em São Paulo, dos Sem-Teto em Goiás, dos Sem-Terra no Pará e de todos que no dia-dia aguardam respostas para suas angústias.

No julgamento marcado para a Justiça Federal do Estado da Paraíba no dia 18 de novembro a partir das 09h00, além da memória saudosa do meu filho, o Júri popular do Caso Manoel Mattos entra para história como um daqueles momentos inesquecíveis para o Brasil.

Nesse momento, o orgulho de ser mãe de Manoel Mattos e de saber que sua luta não foi em vão é que me anima a seguir. Quero ir com o apoio da sociedade paraibana e com todos juntos em busca de justiça. Que outros casos como de Margarida Maria Alves, Chico Mendes, Dorothy Stang e tantos outros não fiquem apenas como uma história para contar, como dizia meu filho : As lágrimas de hoje servirão de combustível para vitórias futuras!

Manoel Mattos: –  Presente !

Nair Ávila – Mãe de Manoel Mattos. Presidente de honra do Centro Manoel Mattos (Itambé).

*Advogado na luta e por isso assassinado de morte, Manoel Mattos foi assassinado em 2009. O julgamento de seus assassinos – o primeiro federalizado no País – tem início depois de amanhã, segunda, 18 de novembro, às 9 horas. Esta carta, impressa em muitas cópias, está sendo distribuída a partir de hoje em João Pessoa. Mas é importante estarmos [email protected] atentos, não importa em qual local estejamos, pela justiça!

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.