PMs atiram bombas de gás contra mulheres e crianças sem-teto (16/11/14). Foto: Caio Palazzo /Ponte Jornalismo

Informação Encarcerada: A Blindagem de Dados na Segurança Pública de São Paulo (para baixar)

Confira o estudo “Informação Encarcerada: A Blindagem de Dados na Segurança Pública de São Paulo”, feita pela Ponte em parceria com a Artigo 19

Por Fausto Salvadori Filho , na Ponte

Pelo crime de tentar pichar um prédio, um grupo de policias militares mata dois jovens desarmados.

Após uma bala de borracha disparada por um PM arrancar 80% da sua visão, um fotógrafo entra na Justiça e vê três desembargadores concluírem que a culpa pelo tiro foi toda sua.

Na reintegração de posse de um edifício, policiais disparam gás lacrimogêneo contra crianças e grávidas e destroem a cadeira de rodas de uma mulher. (mais…)

Ler Mais

maos atirando defendendo

SP – Após ação da Defensoria Pública, STF determina pagamento de danos materiais e morais a mulher atingida por policial

Por DPESP

Após recurso interposto pela Defensoria Pública de SP, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu o direito à indenização por danos materiais e morais a uma mulher atingida pelos disparos de uma arma de fogo de um policial que estava “de folga”. Segundo consta na ação, a mulher estava sentada na calçada em frente sua casa, conversando com seu marido, quando foi atingida pelo disparo de uma arma de fogo. Os ferimentos lhe causaram incapacidade para o trabalho, além de danos estéticos.

Para o Defensor Público Wagner Giron de la Torre, responsável pelo caso, não importa o fato de o policial estar ou não em horário de trabalho. “O que caracteriza o agressor como agente público protagonista das ações lesivas não é o fato de ‘estar ou não de folga’, mas sim a essência de seus atos, o contexto factual em que promovida a sua atuação”. (mais…)

Ler Mais

PMs são presos no Rio acusados de tortura contra quatro jovens no dia de Natal

Estadão/Huffpost Brasil

Oito policiais militares foram presos sob a acusação de tortura e roubo contra quatro rapazes parados em uma blitz no Rio Comprido, zona norte do Rio de Janeiro, quando passavam sem capacete em duas motocicletas. As vítimas contaram que foram despidas, queimadas com faca quente, espancadas e ameaçadas de morte. Uma delas foi obrigada a praticar sexo oral em um amigo. Um dos PMs filmou a cena com o telefone celular, em meio a gargalhadas e xingamentos, contaram os rapazes. (mais…)

Ler Mais

13_08_13_-_indigenas_flickr

Comunidades indígenas em Tabatinga terão policiamento, determina justiça

Decisão determina instalação de base da polícia militar em Belém do Solimões e policiamento ostensivo nas comunidades Umariaçu I e II

EBC

Justiça Federal atendeu pedido do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) em ação civil pública e determinou que o estado instale uma base da polícia militar na comunidade indígena Belém do Solimões e promova policiamento ostensivo nas comunidades Umariaçu I e Umariaçu II, no município de Tabatinga (AM). (mais…)

Ler Mais

dona-Goreti

Mães de Maio denunciam perseguição da PM de SP contra familiares de vítimas de grupo de extermínio

Policial militar ameaçou prender por tráfico de drogas avó de jovem assassinado em 2010. Procurado, o Comando-Geral da PM de SP não se manifestou

André Caramante – Ponte

Integrante do movimento independente de direitos humanos Mães de Maio, a dona de casa Maria Goreti Rodinick Marques, 60 anos, afirma ter sido ameaçada, há dez dias, por um policial militar que prometeu “mandá-la para a cadeia por tráfico de drogas”. (mais…)

Ler Mais

De acordo com Débora Maria, para o jovem negro, se propõe o aumento da maioridade penal, enquanto para o jovem branco são pensadas novas formas de cursos e planos de carreira.

Segurança pública, racismo e a construção dos sujeitos ‘matáveis’ no Brasil

Não gostamos do que vemos no espelho e preferimos negar e calar, valorizando as narrativas – constantemente renovadas desde antes da República e, sobretudo, após o fim da escravidão – que destacam o país pacífico e não racista

Atila Roque* – Nexo

A volta para casa dos cinco jovens residentes na favela de Costa Barros, zona norte do Rio de Janeiro, na madrugada de 29 de novembro passado, um domingo, após uma noite de celebração e festa no Parque de Madureira –  um dos poucos espaços públicos de lazer dos subúrbios cariocas –, terminou em mais uma chacina que chocou pela brutalidade, mas não, infelizmente, por sua excepcionalidade. No caminho daqueles jovens havia uma viatura do 41º Batalhão da Polícia Militar do RJ com policiais que descarregaram mais de cem tiros de fuzil e pistola sobre o carro onde estava os jovens. Alguns relatos de testemunhas dizem que os rapazes já tinham parado o carro e levantado as mãos, um gesto que qualquer o jovem negro morador do Rio de Janeiro, em particular aqueles que vem das favelas e das periferias da cidade, aprende rapidamente a fazer diante da abordagem policial. Sabem, esses jovens, que nesses encontros a vida está sempre por um fio. Não foi diferente para os meninos que celebravam a amizade,  o primeiro emprego de um deles e a ilusão de que eram livres para circular sem medo pela cidade. (mais…)

Ler Mais

combate racismo

Manifestantes protestam contra morte de jovens negros no Rio

Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil

A morte de cinco jovens negros pela Polícia Militar no último sábado (28) foi repudiada ontem (3) durante manifestação no bairro de Madureira, na zona norte do Rio.

Dezenas de pessoas, principalmente jovens, saíram do Viaduto Negrão de Lima, onde fica a sede da Central Única das Favelas (Cufa), e seguiram em passeata até o Parque de Madureira. (mais…)

Ler Mais

E se morrer um estudante?, por Leonardo Sakamoto

Blog do Sakamoto

O governo do Estado de São Paulo resolveu entrar em guerra contra as ocupações de escolas públicas mantidas por estudantes insatisfeitos com o projeto que prevê o fechamento de unidades de ensino e a transferência forçada de milhares de alunos. Não sou eu que afirmo isso mas membros da própria administração estadual em uma gravação divulgada pelos Jornalistas Livres.

A força policial tem usado de violência para cumprir ordens, seja nos protestos em vias públicas, seja em unidades escolares – principalmente na periferia. Pois sabemos que a vida e a dignidade valem menos à medida em que nos afastamos do centro expandido da capital paulista. (mais…)

Ler Mais

mae de cleiton

#OQueDizemAsRedes dos Cinco Jovens de Costa Barros Metralhados pela Polícia Militar

Felicity Clarke – RioOnWatch

No último domingo, cinco jovens morreram metralhados dentro de um carro, pela Polícia Militar no Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. Wilton Esteves Domingos Júnior, de 20 anos, Wesley Castro Rodrigues, 25, Cleiton Corrêa de Souza, 18, Carlos Eduardo da Silva de Souza, 16, e Roberto de Souza Penha, 16, estavam indo comprar um lanche quando a Polícia Militar abriu fogo ao veículo, matando todos os cinco. O carro foi atingido por mais de cinquenta balas. O grupo de amigos havia saído naquela noite para comemorar no Parque Madureira, o primeiro salário de Roberto do seu emprego na rede Atacadão. (mais…)

Ler Mais

Foto de rede social, tirada horas antes do fuzilamento (GuadalupeNews)

A execução de adolescentes no Rio e o vídeo do Unicef que ninguém viu

O que separa o assassinato de cinco jovens por policiais, no Rio, e o depoimento de mães de adolescentes mortos? Como a opinião pública percebe esses dramas?

Por Alceu Luís Castilho (@alceucastilho) – Outras Palavras

Durante 95 segundos, três mães – três mães negras – falam sobre seus filhos. Sorrindo. “Eu nunca vi uma pessoa igual a ele”, diz a mãe de Hítalo Gabriel, de 12 anos. “Todos os dias ele falava pra mim: ‘Você é a melhor mãe do mundo, te amo’”. A mãe de Cristian, de 13 anos, lembra que ele praticava vários esportes, era brincalhão, difícil vê-lo de cara feia. Queria estudar e ser bombeiro, como o tio. “Ele trabalhava, com 17 anos já tinha emprego registrado”, conta a mãe de Christian. “Era um menino cheio de sonhos. Era o primeiro em matemática. Era o primeiro na minha vida”. (mais…)

Ler Mais